05:58 23 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Uma imagem do filme I Saw You, Poland, produzido por Madrecita Filmes

    Experiência brasileira do Leste Europeu hipnotiza estrangeiros e vira sensação

    © Foto/ Screenshot: Vimeo/Madrecita Filmes
    Cultura
    URL curta
    Por
    0 33
    Nos siga no

    Eles moram em Porto Alegre (RS), gostam de viajar e já se tornaram famosos a mais de 10.000 km da casa: na Polônia. A Sputnik falou com Lizandro Pessi, produtor da Madrecita Filmes, que já lançou vários vídeos do projeto "Live Where You Travel" ("Viva onde Você Viajar").

    O vídeo, acessível no YouTube, tam cerca de 1 milhão de visualiações e quase 1,5 mil comentários. Alguém comenta, em inglês: "Obrigada Brasil. É bonito. Beijos da Polônia". Outro internauta, talvez alguém mais nerd, fala: "Aqui tem um conhecimento de técnica cinematográfica enorme". Afinal, o vídeo é este:

    Agora, leia a íntegra da entrevista com o representante da Madrecita Filmes.

    ***

    Sputnik: Por que vocês escolheram precisamente a Polônia?

    Lizandro Pessi: Então, acontece o seguinte: quando nós já tivemos a ideia de criar o projeto "Live Where You Travel", a nossa expedição pelo mundo, uma expedição audiovisual, de vídeo, um dos fatores que levou a escolher a Polônia foi o fato de ser um país muito cheio de história. Poxa, questões muito importantes da história ocidental aconteceram na Polônia no século XX, mas muitas pessoas, pelo menos no Brasil, não associam a Polônia a esta história. Então, a gente teve esta nossa curiosidade de conhecer melhor o país e também de passar informações a pessoas aqui no Brasil para ter melhor conhecimento sobre… Se ensina no colégio sobre a Europa Ocidental. E a história do Leste Europeu não é tão aprofundada, então este foi um dos primeiros objetivos. E junto com isso, o fato de conhecer um amigo que mora em Varsóvia facilitou que a gente pudesse viajar pela Polônia e conhecer de uma maneira mais satisfatória o país.

    S: O vídeo já ganhou bastante popularidade na Polônia, inclusive há internautas que dizem que vocês conseguiram mostrar tudo o essencial sobre o país, que nem um polonês conseguiria explicar. A que vocês atribuem este fenômeno?

    LP: Nos pegou de surpresa. Nós não esperávamos mesmo. Só no Youtube temos um milhão de visualizações, sem contar o Facebook e outras plataformas que a gente usa, mas não tivemos como contar isso. Nós acreditamos que o sucesso dele tanto cair no gosto dos poloneses foi algo como o orgulho do povo, que um estrangeiro, alguém de fora, vir para a Polônia e enxergar o país de uma maneira tão bonita. Então, acho que isso levou as pessoas a sentirem orgulho: “Olha como os estrangeiros enxergam o nosso país!” Penso que é tão emocional. O país é mesmo muito bonito, e a gente… Nós não conseguimos visitar todo o país, de modo que aquele vídeo tem só o que nós conseguimos conhecer. E a questão acho que é a linguagem que nós usamos naquele vídeo, as técnicas de telex, a edição de vídeo, o ser tão dinâmico: sair de Varsóvia e em uma fração de segundo tem uma transição que te leva para Gdansk. Acho que é esta linguagem, que a gente conseguiu mostrar muita coisa em pouco tempo, faz as pessoas ficarem meio hipnotizadas. Então, para resumir: o orgulho que as pessoas sentiram ao ver um estrangeiro ter uma visão tão bonita do país, e a nossa linguagem técnica que hipnotiza as pessoas. Estes dois pontos.

    S: Vocês vão fazer algum vídeo sobre as Jornadas Mundiais da Juventude, que vão se celebrar na cidade polonesa de Cracóvia em finais de julho?

    LP: Até te confesso que não tina a informação deste evento em Cracóvia. Eu lembro que a última edição foi no Brasil. Olha, nós temos o interesse de voltar para a Polônia, no próximo trimestre. Nós estamos trabalhando para conseguir levantar os recursos suficientes para continuar esta expedição e produzir mais material sobre o país, mas eu não sei se vai dar tempo suficiente para estar na Polônia quando acontece este evento.

    S: Há algum outro país estrangeiro na sua lista de viagens?

    LP: Tem vários, na verdade. Nós temos muito interesse na República Tcheca, em Uruguai, que é um país bem próximo do Rio Grande do Sul. A Lituânia também interessa. Este lado do Leste Europeu tem muita curiosidade. Os países que originaram da ex-Iugoslávia: Croácia, Bósnia. O Leste Europeu nos chama muita atenção. Acho que a princípio, sim, os primeiros países que nos interessam são o Leste Europeu e a Escandinávia.

    S: Qual é a origem deste interesse?

    LP: Nós temos muita vontade de viajar. Eu e os sócios, a gente tem o interesse de conhecer outros países, de estar em contato com outras culturas e quando a gente se limita à vida na nossa cidade, a gente fica muito limitada. Então, a gente gosta de sair para enxergar as coisas e depois de um tempo, quando você volta para a sua cidade, tu enxerga a tua cidade de uma forma diferente. Tu sai da rotina e talvez a nossa grande motivação seja essa coisa de poder enxergar as pessoas e arquiteturas de uma forma nova, para ampliar o nosso horizonte mesmo.

    S: Como você define o seu estilo ou gênero principal da Madrecita Filmes?

    LP: Olha, é uma boa pergunta. Nós não definimos muito. Cada vídeo desta série, "Live Where You Travel", é experimental, é uma experiência. Eu acho que o gênero poderia talvez ser experimental. A nossa ideia, por enquanto, é ir inventando e criando uma linguagem nova, absorvendo linguagens conforme o contato com as culturas para a gente trazer para os filmes. É uma expedição, então eu acho que os vídeos acabam sendo diferentes entre si.

    Mais:

    Casa da FEB comemora sucesso da exposição de cartazes e filmes soviéticos da 2ª Guerra
    Orquestra Sinfônica Brasileira apresenta no Rio trilhas de cinema
    Festival de filmes no Rio apresenta a 'Vilania no Cinema Brasileiro'
    ‘Ucrânia em Chamas’: filme de Oliver Stone revela ação dos EUA no conflito ucraniano
    Será que filme brasileiro ganha Oscar?
    Mostra no Rio reúne filmes que discutem o Cinema e a Política
    Ancine garante a participação de filmes brasileiros em festivais internacionais
    Realizado primeiro filme escrito por inteligência artificial
    Tags:
    Cinema, Madrecita Filmes, Europa Oriental, Brasil, Polônia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar