05:34 18 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Cultura
    URL curta
    0100
    Nos siga no

    O som do maior sino da Rússia foi recriado!

    Cientistas dos EUA conseguiram recriar o som do famoso sino existente no Kremlin e que nunca chegou a tocar por uma parte se ter quebrado a altura da sua instalação. O som foi recriado com a ajuda de modelos matemáticos.

    Neste projeto participaram especialistas da Universidade de Berkley, Califórnia, da Universidade de Stanford e da Universidade de Michigan. No site do projeto Tsarbell.com é assinalado que o sino do Kremlin (chamado Tsar-Kolokol), fabricado em 1733 e com cerca de 200 toneladas, é o maior dos sinos que nunca chegou a tocar.

    ​O badalo do sino, ao embater em suas paredes internas, emite um som em resultado da deformação, devido à qual o ar em volta começa a vibrar. As ondas e a amplitude destas deformações é que definem o tom, o volume e o timbre do som do sino.

    O método dos elementos finitos permite calcular como um objeto de determinado tamanho e material se deforma sob o influxo de ar. 

    Para atingir total exatidão, os cientistas recriaram o som dos sinos reais e compararam a simulação com a realidade. 

    Uma réplica da Tsar Bomba termonuclear em Moscou
    © Sputnik / Mikhail Voskresenskiy
    O sino existente no Kremlin em forma de monumento, tal como o canhão, é realmente gigantesco. Uma parte dele está quebrada e dá para ver um pouco do seu interior (não muito porque ele está fechado com uma grade) e a parte que se quebrou está colocada ao lado do sino. 

    Durante a Segunda Guerra Mundial cogitou-se derreter o sino para utilizar todo o bronze na produção de armas, mas isso acabou por não acontecer (e ainda bem).

     Ambos – o sino e o canhão gigantescos — foram construídos nos tempos do Império Russo e dão uma ideia da grandeza do povo, do território e também da megalomania dos czares que governavam o país naqueles tempos.

    Mais:

    Rússia ajudará Luc Besson em filme sobre tragédia do submarino Kursk
    Tags:
    Rússia, EUA, Universidade de Berkley, Stanford, Universidade de Michigan, Recriação, Tsar Kolokol
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar