07:44 19 Maio 2019
Ouvir Rádio
    Anfiteatro na parte histórica de Palmira, Síria, 28 de março de 2016

    Daesh ganhou $200 milhões com a venda de antiguidades de Palmira

    © Sputnik / Mikhail Voskresensky
    Cultura
    URL curta
    Crueldades do Daesh (33)
    1 0 0

    Militantes do grupo terrorista Daesh ganharam cerca de $200 milhões com a venda de antiguidades roubadas em Palmira, cidade capturada por eles no ano passado.

    O Daesh (Estado Islâmico) não só danificou o monumento, que é Patrimônio Mundial, mas tem vendido com sucesso relíquias únicas.

    A mítica cidade de 2.000 anos, localizada no deserto sírio, foi saqueada pelos terroristas.

    Em 27 de março, as forças sírias, em conjunto com a Força Aeroespacial russa, liberaram Palmira depois de 10 meses de terror e devastação.

    Quanto custa a História arruinada?
    © Sputnik /
    Quanto custa a História arruinada?

    Durante o período em que o Daesh ocupou a cidade, foi destruído um templo do século 18 e o arco do triunfo da era romana. O anfiteatro da mesma época foi usado pelos militantes para execuções públicas. Agora, a maior parte da cidade está em ruínas.

    O representante permanente da Rússia na ONU, Vitaly Churkin, disse em uma carta que o Daesh tinha um departamento só para vender as antiguidades.

    A cidade turca de Gaziantep é o centro da “contrabando do patrimônio cultural”, escreveu ele.

    As mercadorias “são vendidas ali em leilões ilegais e, depois, através da rede de lojas de antiguidades e no mercado local”.

    Tema:
    Crueldades do Daesh (33)

    Mais:

    Especialistas russos lideram processo de desminagem em Palmira
    Rússia apresentará à UNESCO proposta para restaurar cidade síria de Palmira
    Libertação de Palmira tem importância espiritual
    Tags:
    execuções, militantes, templo, relíquias, Patrimônio Mundial, Forças Armadas da Rússia, Daesh, ONU, Vitaly Churkin, Palmira, Síria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar