02:36 21 Janeiro 2018
Ouvir Rádio
    Maya Plissetskaya, por Eduardo Kobra, Moscou, Rússia

    Eduardo Kobra quer voltar à Rússia

    © Foto: Eduardo Kobra
    Cultura
    URL curta
    0 71

    A Sputnik Brasil falou com exclusividade com o artista paulista Eduardo Kobra. Ele tem as suas obras - principalmente pinturas murais de larga escala - exibidos em várias cidades do mundo, inclusive na capital russa.

    Sputnik: Como o senhor escolhe o local em que um trabalho será realizado? O senhor contata as autoridades municipais e nacionais com antecipação? Em particular, como foi feita a escolha da cidade de Moscou para retratar Maya Plissetskaya?

    Eduardo Kobra: Sobre Maya Plissetskaya, recebi um convite de uma organização cultural da cidade de Moscou, esta organização ficou incumbida de fazer toda organização logística, isso inclui andaimes, hotéis, passagens, e acima de tudo o local onde o mural seria realizado, sendo assim, o espaço foi autorizado pelo governo, através de negociações com essa organização, em todos os casos internacionais procuro ter este tipo de autorização para evitar problemas e garantir a permanência do mural.

    S.: O senhor já conhecia a arte de Plissetskaya e tinha pensado em retratá-la? Ou foi um convite por parte da Rússia com esta proposta concreta?

    E.K.: Recebi o convite da Rússia, porem a criação e o desenvolvimento artístico não sofreu interferências, porque a ideia vem de um projeto que tenho chamado "muro das memórias" onde costumo retratar imagens antigas, e algumas personalidades, e Maya, é um ícone do Ballet mundial, ela já fazia parte de uma coleção de pinturas em tela que realizei sobre murais, então quando o convite surgiu, não tive dúvidas em retrata-la, porém, quando cheguei a Moscou fiz questão de visitar bibliotecas locais, e encontrar a melhor imagem para o espaço.

    S.: O senhor já tinha estado em Moscou antes de fazer este trabalho? Planeja voltar a esta cidade ou a uma outra cidade russa?

    E.K.: Amei Moscou, tive a oportunidade de conhecer São Petersburgo, outra cidade maravilhosa, recebi outros convites para pintar na Rússia, estou ansioso para que o convite se concretize e eu consiga voltar a Rússia, e mais uma vez deixar o meu trabalho estampado em um mural.

    • Abraham Lincoln, por Eduardo Kobra, Lexington, estado de Kentucky, EUA
      Abraham Lincoln, por Eduardo Kobra, Lexington, estado de Kentucky, EUA
      © Foto: Eduardo Kobra
    • Alfred Nobel, por Eduardo Kobra, Boras, Suécia
      Alfred Nobel, por Eduardo Kobra, Boras, Suécia
      © Foto: Eduardo Kobra
    • Bob Dylan, por Eduardo Kobra, Minneapolis, estado de Minnesota, EUA
      Bob Dylan, por Eduardo Kobra, Minneapolis, estado de Minnesota, EUA
      © Foto: Eduardo Kobra
    • Malala Yousafzai, por Eduardo Kobra, Roma, Itália
      Malala Yousafzai, por Eduardo Kobra, Roma, Itália
      © Foto: Eduardo Kobra
    • O Pensador, por Eduardo Kobra, São Paulo, Brasil
      O Pensador, por Eduardo Kobra, São Paulo, Brasil
      © Foto: Eduardo Kobra
    • Óscar Niemeyer, por Eduardo Kobra, São Paulo, Brasil
      Óscar Niemeyer, por Eduardo Kobra, São Paulo, Brasil
      © Foto: Eduardo Kobra
    • Hélio Pelegrino, por Eduardo Kobra, São Paulo, Brasil
      Hélio Pelegrino, por Eduardo Kobra, São Paulo, Brasil
      © Foto: Eduardo Kobra
    • Stop Wars, por Eduardo Kobra, Miami, estado de Florida, EUA
      Stop Wars, por Eduardo Kobra, Miami, estado de Florida, EUA
      © Foto: Eduardo Kobra
    • Genial é Andar de Bike, por Eduardo Kobra, São Paulo, Brasil
      Genial é Andar de Bike, por Eduardo Kobra, São Paulo, Brasil
      © Foto: Eduardo Kobra
    • O Beduino, por Eduardo Kobra, Dubaí, Emirados Árabes Unidos
      O Beduino, por Eduardo Kobra, Dubaí, Emirados Árabes Unidos
      © Foto: Eduardo Kobra
    • Tupac&Biggie, por Eduardo Kobra, Miami, estado de Florida, EUA
      Tupac&Biggie, por Eduardo Kobra, Miami, estado de Florida, EUA
      © Foto: Eduardo Kobra
    • O Beijo, por Eduardo Kobra, Nova Iorque, EUA
      O Beijo, por Eduardo Kobra, Nova Iorque, EUA
      © Foto: Eduardo Kobra
    • Luiz Gonzaga, por Eduardo Kobra, Recife, Brasil
      Luiz Gonzaga, por Eduardo Kobra, Recife, Brasil
      © Foto: Eduardo Kobra
    • Andy Warhol e Jean-Michel Basquiat, por Eduardo Kobra, Nova Iorque, EUA
      Andy Warhol e Jean-Michel Basquiat, por Eduardo Kobra, Nova Iorque, EUA
      © Foto: Eduardo Kobra
    1 / 14
    © Foto: Eduardo Kobra
    Abraham Lincoln, por Eduardo Kobra, Lexington, estado de Kentucky, EUA

    S.: O seu trabalho caracteriza-se por retratos de imagens e pessoas mundialmente conhecidas. É uma estratégia? O senhor já pensou em fazer um trabalho que não recorra a um imaginário reconhecível, "próprio", por assim dizer?

    E.K.: Tenho alguns diferentes projetos, posso citar o Greenpincel, onde falo da proteção aos animais, o Projeto Muro das Memórias, onde realizo murais falando da historia do local por onde passo, também realizo pinturas em 3d no piso, além de projetos especiais como o "são Paulo uma realidade aumentada" onde falei de vários problemas sociais que a cidade vive, como desemprego, moradia, corrupção, mas de uma forma geral meu trabalho tem como base a realidade da vida nas grande cidades.

    S.: Onde está a diferença entre arte e vandalismo, falando em grafite e arte urbana? O senhor já viu uma obra sua apagada por funcionários de limpeza pública? O senhor acompanha as pichações e outros exemplos de "arte radical"?

    E.K.: Sou autodidata, minha trajetória se iniciou nas ruas de SP, então tive contato com Pichações, grafite, tudo isso feito sempre de forma ilegal, já tive algumas obras danificadas, porem atualmente existe uma consciência maior por parte das autoridades, Mas quem está nas ruas, de certa forma esta acostumado com a efemeridade da street art.

    S.: Como o senhor chegou ao seu estilo único?

    E.K.: Foi um longo processo, conforme comentei, meu trabalho teve como base durante anos, imagens históricas, antigas, que geralmente eram feitas em preto e branco ou sépia, os coloridos surgiram da necessidade de dar mais vida a estas cenas, então passei a dar outras dimensões nas imagens como é o caso do mural Oscar Niemeyer da avenida Paulista, onde as cores e formas geométricas, recriam na face do Niemeyer, algumas das obras que ele realizou no Brasil.

    S.: Qual foi a reação mais incomum que o senhor já registrou sobre a sua obra?

    E.K.: O meu mural feito na Grécia, em Athenas, foi completamente destruído por religiosos ortodoxos, porque confundiram o painel com algo que não tinha absolutamente nada a ver com questões religiosas.

    S.: Em que projeto o senhor está trabalhando agora? Pode compartilhar algum detalhe?

    E.K.: Estou me preparando para um grande mural em Dubai nos Emirados Árabes, e na sequencia devo realizar alguns painéis na Europa e EUA, entre eles um projeto aqui em SP, 10 murais falando sobre a violência que vivemos atualmente.

    Tags:
    pintura, arte, obras, cultura, Rússia, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik