10:15 22 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    160
    Nos siga no

    Com o Telescópio Espacial Hubble, a agência espacial norte-americana NASA descobriu um fenômeno no qual os ventos de uma região de Júpiter estão desacelerando e acelerando fora dela.

    O Telescópio Espacial Hubble da NASA detectou mudanças na Grande Mancha Vermelha de Júpiter, o sistema de tempestades do planeta em que os ventos externos se aceleraram durante a última década, disse na segunda-feira (27) a agência espacial norte-americana.

    Os cientistas analisaram os dados do maior planeta do Sistema Solar, e descobriram que entre 2009 e 2020 a velocidade média na região externa da Grande Mancha Vermelha, conhecida como o anel de alta velocidade, aumentou em até 8%.

    Foi também registrado que a velocidade dos ventos nessa região externa aumenta em cerca de 2,5 km/h todos os anos, "uma mudança tão pequena", comentou Amy Simon, do Centro de Voo Espacial Goddard da NASA em Maryland, EUA, que não seria possível detectá-la sem os dados do Hubble. Os cientistas ainda não sabem o que essa mudança poderia significar.

    "Isso é difícil de diagnosticar, porque Hubble não consegue ver muito bem o fundo da tempestade. Qualquer coisa abaixo das nuvens é invisível nos dados", comentou Michael Wong, da Universidade da Califórnia em Berkeley, EUA.

    "Mas é um dado interessante que pode nos ajudar a entender o que alimenta a Grande Mancha Vermelha, e como ela mantém a energia", acrescentou ele.

    Ao mesmo tempo, nota a equipe de pesquisadores, os ventos na região interna daquela tempestade abrandaram significativamente, com as nuvens de cor carmesim girando no sentido contrário ao relógio a velocidades de cerca de 650 km/h, e que seu vórtice é maior do que a Terra.

    Mais:

    Telescópio Hubble revela Júpiter se preparando para mudar de cor (VÍDEO)
    FOTOS incríveis revelam momentos únicos de Júpiter em diferentes comprimentos de onda de luz
    FOTOS em alta resolução revelam segredos das violentas tempestades de Júpiter
    Tags:
    Hubble, Universidade da Califórnia, Berkeley, EUA, NASA, Maryland
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar