00:57 23 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    Coronavírus no mundo no final de setembro de 2021 (12)
    1190
    Nos siga no

    Novo estudo revelou que os pacientes com COVID-19 que foram internados em unidades de terapia intensiva (UTI) têm mais possibilidade de desenvolver deficiências cognitivas contínuas.

    O estudo de quase 150 pacientes internados no início da pandemia revelou que 73% sofreram de delirium, a síndrome orgânica cerebral aguda que é caracterizada por um rápido deterioro na atenção, consciência e cognição, de acordo com pesquisa publicada na BMJ Open.

    Os cientistas estudaram os internados em UTI na Escola Médica da Universidade de Michigan (EUA) de março a maio de 2020. Os que tiveram delirium experimentaram mais comorbidades, como hipertensão e diabetes, e tiveram um curso da doença mais grave.

    Na maioria dos casos, o delirium durou de 4 a 17 dias. Quase uma terceira parte dos pacientes com esta síndrome receberam alta sem terem tido uma recuperação completa e quase 40% necessitaram ajuda professional. Alguns pacientes tiveram sintomas de delirium durante meses.

    Além disso, os pesquisadores indicam que a COVID-19 pode provocar a redução de fornecimento de oxigênio ao cérebro, desenvolvimento de coágulos sanguíneos e acidente vascular cerebral, que são os fatores que prejudicam as capacidades cognitivas.

    Os pacientes com delirium tiveram marcadores de inflamação muito elevados e a confusão mental e agitação poderiam ser o resultado de inflamação no cérebro.

    Tema:
    Coronavírus no mundo no final de setembro de 2021 (12)

    Mais:

    Qual variante do coronavírus mais 'viável'? Cientistas americanos revelam
    CPI da Covid: estudo da Prevent Senior 'é algo nazista', afirma professora
    Cientistas de Wuhan queriam infectar morcegos com coronavírus em 2018, diz mídia
    Após Bolsonaro criticar certificado de vacinação na ONU, Itamaraty nega reciprocidade a Portugal
    Encontrada ligação entre COVID-19 grave e autoanticorpos que atuam contra tecidos do próprio corpo
    Tags:
    COVID-19, novo coronavírus, hospital, cérebro, pacientes, cientistas
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar