00:35 24 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 20
    Nos siga no

    Os pesquisadores estimam que o pterossauro "rhamphorhynchine" encontrado no deserto de Atacama tinha aproximadamente dois metros de envergadura, uma grande cauda e um focinho alongado, adaptado para uma dieta marinha.

    Uma equipe de paleontólogos da Universidade do Chile descobriu na região de Antofagasta, no norte do país, um "dragão alado" que habitou a Terra há mais de 160 milhões de anos, representando o primeiro registro fóssil de um pterossauro jurássico encontrado no Hemisfério Sul.

    De acordo com a pesquisa, publicada recentemente na revista Acta Palaeontologica Polonica, durante a temporada de escavações realizada em 2009 no deserto de Atacama foram localizados um úmero esquerdo completo, dois fragmentos de uma falange da asa e uma possível vértebra dorsal pertencentes a um único indivíduo de tamanho médio.

    ​Um pterossauro rhamphorhynchine do Jurássico Tardio no Chile.

    Após uma série de estudos morfológicos nos últimos anos, os pesquisadores determinaram que os restos pertencem a um pterossauro "rhamphorhynchine".

    Este exemplar representa "a primeira criatura deste tipo encontrada no Gondwana, o supercontinente pré-histórico que posteriormente formou as massas terrestres do Hemisfério Sul".

    Representação artística de um pterossauro rhamphorhynchidae
    Representação artística de um pterossauro rhamphorhynchidae

    Para os pesquisadores, a descoberta deste pterossauro abaixo da linha do equador demonstra que este "dragão alado" se estendia por muitas mais regiões da Terra primitiva do que imaginávamos.

    "Isso não é [algo] inesperado, dadas as capacidades voadoras da ordem Pterossauria", assim como a "conectividade terrestre intermitente entre a Laurásia e o Gondwana durante o Jurássico Médio e Tardio", explicou Jhonatan Alarcón, coautor do estudo.

    Baseados nos restos recuperados, os especialistas calcularam que o exemplar estudado tinha aproximadamente dois metros de envergadura, uma grande cauda e um focinho alongado, o qual estava perfeitamente adaptado para atacar peixes e crustáceos.

    Mais:

    Nova vida: encontrada comunidade de micróbios na cratera do asteroide que matou dinossauros
    Fezes de dinossauro revelam detalhes de vida de inseto de mais de 200 milhões de anos (VÍDEO)
    Descoberto novo dinossauro de 130 milhões de anos do tamanho de ônibus escolar na Espanha (FOTO)
    Tags:
    dinossauro, estudo, estudos, arqueologia, arqueólogo, arqueólogos, Chile, hemisfério Sul
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar