17:43 16 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    COVID-19 no mundo no final de agosto de 2021 (21)
    391
    Nos siga no

    A capacidade da Sputnik V de bloquear todas as variantes do coronavírus aumenta com o tempo, de acordo com uma pesquisa realizada em 1.800 amostras de sangue de pessoas imunizadas com a vacina russa.

    Os pesquisadores argentinos analisaram o número de anticorpos e sua capacidade de neutralizar o coronavírus e suas variantes em 1.800 amostras de sangue de pessoas que se recuperaram do vírus ou não tiveram a infecção.

    As amostras foram coletadas antes da imunização e a 21, 42, 120 e 180 dias após a vacinação com a Sputnik V, informou o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação da Argentina.

    "Embora os anticorpos diminuam em quantidade, o que pudemos observar neste estudo é que a qualidade e o poder neutralizante dos anticorpos contra o SARS-CoV-2 original e as variantes aumentam com o passar do tempo desde a administração da vacina Sputnik V ", disse a chefe da pesquisa, Andrea Gamarnik.

    O estudo confirma a eficácia crescente dos anticorpos seis meses após a vacinação com a Sputnik V, conforme o ministério.

    Os cientistas também analisaram a eficácia da vacina contra as diferentes variantes que circulam na Argentina e descobriram que os anticorpos são capazes de bloquear a infecção causada pela cepa Delta.

    "É surpreendente que, com o passar do tempo após a vacinação, o poder neutralizante dos anticorpos contra as cepas aumenta, e esse aumento de poder é maior contra as variantes Beta e Gama. Ou seja, após quatro ou seis meses do início da vacinação, a qualidade dos anticorpos gerados também melhora para neutralizar as variantes", concluiu Gamarnik.

    Comentando as descobertas de cientistas argentinos, o Fundo Russo de Investimentos Diretos (RFPI, na sigla em russo) afirmou que muitos países procuram uma vacina capaz de fornecer proteção a longo prazo contra a COVID-19.

    "Neste caso, o estudo realizado pelos especialistas na Argentina é extremamente importante para demonstrar a formação de uma imunidade mais longa contra o coronavírus pela vacina russa Sputnik V", segundo o RFPI.

    Tema:
    COVID-19 no mundo no final de agosto de 2021 (21)

    Mais:

    Especialista: 3ª dose é importante, mas é preciso também adiar retomada das atividades no Brasil
    COVID-19: estudo mostra que não vacinados têm 29 vezes mais probabilidade de serem hospitalizados
    China avisa EUA de 'retaliação' se seguirem acusando Pequim de vazamento da COVID-19 de laboratórios
    Inteligência dos EUA não confirma origem da COVID-19 após 90 dias de investigação
    COVID-19: Ministério da Saúde anuncia data do início da 3ª dose em idosos e imunossuprimidos
    Tags:
    COVID-19, vacina, vacinação, anticorpos, Argentina, estudo, novo coronavírus
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar