08:43 16 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    152
    Nos siga no

    Os curadores do museu V&A de Londres não haviam notado a impressão anteriormente. A escultura de cera de 500 anos atribuída a Michelangelo pode conter a impressão digital do famoso artista renascentista, de acordo com nova análise.

    Michelangelo supostamente criou a escultura de cera como um estudo para uma escultura maior que planejou para a Basílica de São Pedro no Vaticano, de acordo com um comunicado da BBC Two, que acaba de lançar a nova temporada de uma série com a estatueta. No entanto, a escultura maior nunca foi concluída e agora o modelo pertence ao Museu Victoria and Albert Museum, ou V&A, em Londres.

    A estátua de cera que estava em exibição é chamada de "A escrava". Mas os curadores a moveram de uma galeria de nível superior durante a primavera excepcionalmente quente de 2020 para uma área de armazenamento mais fria quando o museu fechou temporariamente durante a pandemia de COVID-19, de acordo com The Times.

    Cinco meses depois, os curadores verificaram a estatueta armazenada e notaram uma impressão digital nunca antes vista no traseiro da escultura. Dado que Michelangelo supostamente criou a escultura, é possível que a impressão digital seja dele.

    Michelangelo destruiu muitos de seus rascunhos. Mas esta estatueta de cera sobreviveu... E a impressão digital dele pode estar nela!

    Talvez as mudanças de temperatura e níveis de umidade tenham modificado a composição de cera da estatueta, o que tornou a impressão mais aparente, disseram estudiosos de arte.

    "É uma perspectiva empolgante que uma das impressões de Michelangelo possa ter sobrevivido na cera", disse Peta Motture, curadora sênior da V&A, em comunicado. "Essas marcas sugeririam a presença física do processo criativo de um artista. É onde a mente e a mão de alguma forma se unem".

    Modelos de cera do artista

    Michelangelo destruiu muitos de seus modelos de cera antes de morrer, disse Motture. Na verdade, pouco antes de sua morte aos 88 anos, em Roma, em 1564, Michelangelo teve muitos de seus desenhos e papéis queimados.

    Museu Victoria & Albert em Londres
    Museu Victoria & Albert em Londres
    Não se sabe por que ele ordenou que sua obra fosse queimada, mas o biógrafo renascentista Giorgio Vasari opinou que talvez Michelangelo não quisesse que as pessoas soubessem o esforço supremo que ele colocou em seu trabalho, pois ele queria aparecer como um gênio cujo trabalho era perfeito. Há a hipótese também de que ele tenha apagado os registros para evitar o plágio, relatou o The New York Times.

    Como grande parte da obra de Michelangelo foi destruída, "uma impressão digital seria uma conexão direta com o artista", explica Motture.

    Mais:

    Moedas raríssimas do tempo de Cristo são descobertas durante reparo de museu em Jerusalém (FOTO)
    Canguru pintado há mais de 17 mil anos é a arte rupestre mais antiga da Austrália, diz estudo (FOTO)
    Arte egípcia de 4.600 anos de antiguidade representaria ganso extinto (FOTO)
    Tags:
    museu, Londres, Michelangelo, estátua, impressão, digital
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar