12:58 05 Agosto 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 10
    Nos siga no

    Cientistas estudaram 400 fósseis de dentes de uma espécie de tubarão extinta da Antártica, e registraram algumas das temperaturas mais elevadas nas águas do Polo Sul.

    Os dentes de tubarão escondem segredos sobre a mudança climática na Terra, afirmaram cientistas, segundo divulgou o portal The Conversation na segunda-feira (12).

    Após examinarem 400 dentes de um exemplar da Striatolamia macrota, uma espécie agora extinta de tubarão tigre de areia, e encontrado na atual ilha Seymour, perto da península Antártica, os pesquisadores, liderados por Sora Kim, professora assistente de paleontologia da Universidade da Califórnia, EUA, encontraram átomos de oxigênio da água em que o animal viveu na camada externa de um dos dentes.

    Assim, as temperaturas registradas nos dentes da espécie, que viveu entre 37 milhões a 45 milhões de anos atrás, eram algumas das mais quentes já detectadas nas águas antárticas, significando que as temperaturas antárticas eram mais elevadas que estimado previamente por cientistas. Além disso, os dentes apontam as altas concentrações de dióxido de carbono atmosférico na época.

    No entanto, advertem os investigadores, isso poderia ser resultado da diferença entre as águas mais próximas da superfície e as do fundo do mar, ou devido a migrações para partes mais quentes quando as águas ficavam mais frias.

    Foi também descoberto que alguns dos dentes dos tubarões eram extremamente grandes, sugerindo que os antigos tubarões da Antártica eram maiores que o tubarão tigre da areia atual, Carcharias taurus.

    Mais:

    Origens da evolução dos dentes são reveladas por fósseis de peixes de 422 milhões de anos (FOTO)
    Tubarões pré-históricos possuíam mandíbulas giratórias (FOTO)
    'Fora da escala': cientistas se surpreendem com tamanho do megalodonte comparado a outros tubarões
    Tags:
    Terra, Antártica, Universidade da Califórnia, EUA, Polo Sul
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar