19:40 02 Agosto 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    Coronavírus no mundo no início de julho de 2021 (15)
    1260
    Nos siga no

    O imunizante cubano possui uma eficácia de 92,28% com seu esquema de três doses com 14 dias de intervalo.

    O Centro para o Controle Estatal de Medicamentos, Equipamentos e Dispositivos Médicos (CECMED, na sigla em espanhol) de Cuba autorizou nesta sexta-feira (9) o uso emergencial da vacina cubana Abdala contra a COVID-19.

    O imunizante Abdala, que foi elaborado pelo Centro de Engenharia Genética e Biotecnologia (CIGB, na sigla em espanhol) de Havana, teve autorização emitida assim que se comprovou que atendia aos requisitos e parâmetros exigidos pelos termos de "qualidade, segurança e eficácia", disse o CECMED em comunicado.

    O CECMED indicou que, além de realizar um rigoroso processo de avaliação, foram realizadas inspeções nas plantas envolvidas no processo de produção do medicamento e analisados ​​os dados dos ensaios clínicos das fases I, II e III.

    Segundo a autoridade sanitária cubana, os ensaios clínicos do imunizante Abdala demonstraram que a vacina possui uma eficácia de 92,28% na prevenção das formas sintomáticas da COVID-19. A vacina é aplicada em um esquema de três doses com 14 dias de intervalo.

    Senhor recebe a vacina contra a COVID-19 cubana Abdala, em posto de saúde nos subúrbios de Havana, Cuba, 14 de maio de 2021
    © AP Photo / Ramon Espinosa
    Senhor recebe a vacina contra a COVID-19 cubana Abdala, em posto de saúde nos subúrbios de Havana, Cuba, 14 de maio de 2021

    Vacinas cubanas

    Cuba também possui outra vacina contra o novo coronavírus na última etapa dos testes clínicos: Soberana 02. Este imunizante mostrou ter uma eficácia de 62% no esquema de duas doses com 28 dias de intervalo.

    No entanto, na quinta-feira (8), o Instituto Finlay de Vacinas, que desenvolveu o imunizante, informou que a combinação de duas doses da Soberana 02 com uma dose de reforço da Soberana Plus demonstrou eficácia de 91,2% contra o SARS-CoV-2.

    Tema:
    Coronavírus no mundo no início de julho de 2021 (15)

    Mais:

    Crescentes evidências sugerem que vacina russa Sputnik V é segura e eficaz, escreve revista Nature
    COVID-19: brasileiros sem cadastro no sistema de saúde de Portugal não conseguem se vacinar; entenda
    Covaxin: negociações da vacina no Brasil envolveram empresa nos Emirados Árabes Unidos
    EMA afirma que vacinas da Pfizer e da Moderna estariam ligadas a casos de inflamação cardíaca rara
    Tags:
    América Latina, Cuba, vacina, vacina, vacinação, novo coronavírus, COVID-19, pandemia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar