11:32 30 Julho 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 20
    Nos siga no

    Desde a descoberta no início de 2021, cientistas têm estudado o meteorito Winchcombe para entender sua mineralogia e química para aprender como o Sistema Solar se formou. Até o momento, já se sabe que a rocha contém ampla variedade de material orgânico.

    Com apoio de um financiamento do Conselho de Instalações de Ciência e Tecnologia (STFC, sigla em inglês), os cientistas acreditam estar perto de desvendar origem do planeta, através de pesquisa realizada sobre o meteorito raríssimo que caiu no Reino Unido no início deste ano.

    Os estudos sugerem que a rocha espacial remonta ao início do Sistema Solar, 4,5 bilhões de anos atrás. O meteorito Winchcombe, assim chamado em homenagem à cidade de Gloucestershire onde pousou, cerca de 165 quilômetros de Londres, é um tipo extremamente raro chamado condrito carbonáceo. É rochoso, rico em água, matéria orgânica e reteve sua química desde a formação do Sistema Solar.

    Raro meteorito pode guardar segredos para a vida na Terra. No início deste ano, financiamos uma equipe de cientistas planetários de todo o Reino Unido, auxiliando na pesquisa do meteorito Winchcombe.

    O STFC forneceu uma bolsa de urgência para financiar o trabalho de cientistas planetários em todo o Reino Unido. Desta maneira, o Museu de História Natural pôde investir em instalações de curadoria de última geração para preservar o meteorito, e também apoiar análises mineralógicas e orgânicas sensíveis ao tempo em laboratórios especializados em várias instituições importantes do Reino Unido.

    A pesquisadora Ashley King, do programa Futuros Líderes do UK Pesquisa e Inovação do Departamento de Ciências da Terra no Museu de História Natural agradeceu pelo financiamento que proporciona o estudo do primeiro meteorito a ser recuperado em 30 anos no Reino Unido e o primeiro condrito carbonáceo do país.

    "O financiamento do STFC está nos ajudando nesta oportunidade única de descobrir as origens da água e da vida na Terra […] temos conseguido investir em equipamento de última geração que contribuiu para nossa análise e pesquisa do meteorito Winchcombe", contou.

    O cientista Luke Daly, da Universidade de Glasgow afirmou: "Ser capaz de investigar Winchcombe é um sonho que se tornou realidade […] Para que um meteorito condrito carbonáceo caia no Reino Unido e seja recuperado tão rapidamente e tenha uma órbita conhecida, é um evento realmente especial e uma oportunidade fantástica para a comunidade científica planetária do Reino Unido", entusiasmou-se.

    Já Queenie Chan, do Royal Holloway da Universidade de Londres, acrescentou: "As análises preliminares da equipe confirmam que Winchcombe contém uma ampla variedade de material orgânico! Estudar o meteorito apenas algumas semanas após a queda, antes de qualquer contaminação terrestre significativa, sugere que realmente estamos perscrutando de volta no tempo com os ingredientes presentes no nascimento do sistema solar e aprendendo sobre como eles se uniram para formar planetas como a Terra", detalhou.

    Um pedaço do meteorito Winchcombe está agora em exibição pública no Museu de História Natural de Londres.

    Mais:

    Meteorito atravessa o céu no leste de Cuba provocando forte explosão (FOTO)
    Encontradas provas de queda de grande meteorito na Antártica há 430 mil anos (FOTO)
    Vai um meteorito bem passado aí? Curioso estudo revela pistas sobre atmosferas planetárias (FOTO)
    Tags:
    rocha, origem da vida, Sistema Solar, Terra, Reino Unido, meteorito
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar