13:00 05 Agosto 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 70
    Nos siga no

    Os especialistas descobriram tumbas com afrescos supostamente da época da Dinastia Yuan (1271-1368), fundada por Kublai Khan, neto do conquistador Genghis Khan.

    Especialistas do Instituto Arqueológico da cidade chinesa de Jinan, na província de Shandong, descobriram em uma escavação 12 tumbas de cerca de 700 anos, segundo informou o canal CGTN.

    Esta é a maior concentração de tumbas encontradas na província até hoje. O aglomerado é consiste em 11 tumbas com afrescos de tijolos entalhados e uma câmara de pedra. Especialistas sugerem que os túmulos descobertos datam do período final da Dinastia Yuan (1271-1368), fundada por Kublai Khan, neto do conquistador Genghis Khan.

    ​Tumbas de mais de 700 anos com murais de tijolos entalhados são desenterrados na China.

    Evidências escritas sugerem que os túmulos pertencem a uma família com o sobrenome Guo. Os murais foram criados usando cinzéis e martelos de madeira para fazer padrões nos tijolos.

    "As tumbas foram dispostas de maneira ordenada e aparentemente planejada e alguns dos proprietários eram parentes de sangue, o que fornece novo material para estudar a disposição dos cemitérios familiares na Dinastia Yuan", disse o diretor do instituto, Li Ming.

    Além disso, os especialistas encontraram mais de 60 fragmentos de cerâmica e porcelana e também espelhos de bronze, moedas de cobre e outros objetos arqueológicos durante suas escavações iniciadas em 23 de abril.

    Mais:

    Cemitério na areia: 200 esqueletos da Idade Média são encontrados em praia no Reino Unido (FOTOS)
    Estudo diz que sistema de pesos padronizado criou 1º mercado livre da Europa há 3 mil anos (FOTO)
    Sepulturas cristãs da era Viking são encontradas em área residencial na Suécia (FOTOS)
    Túmulo com esqueleto de 1.000 anos é encontrado na Turquia (FOTO)
    Tags:
    dinastia, império, túmulo, tumba, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar