13:00 05 Agosto 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    Coronavírus no mundo no início de julho de 2021 (15)
    0 170
    Nos siga no

    Uma pesquisa de cientistas argentinos mostrou que a vacina russa Sputnik V contra a COVID-19 gera anticorpos contra várias cepas do coronavírus presentes na Argentina: Gama (Brasil), Alfa (Reino Unido) e Lambda (Andes).

    "Não foram observadas quaisquer dificuldades na atividade neutralizante em soros de pessoas vacinadas com a Sputnik V", segundo os resultados de um estudo realizado pelo Projeto Argentino Interministerial de Genômica do SARS-CoV-2 (PAIS, na sigla em espanhol).

    Os pesquisadores revelaram que os vacinados têm anticorpos que neutralizam as variantes do SARS-CoV-2 que circulam na Argentina: a cepa P.1 (Gama), B.1.1.7 (Alfa) и С.37 (Lambda). Como referência, foi tomada a atividade neutralizante exercida pelos soros contra a cepa B.1 (cepa de referência do ano 2020).

    Entretanto, o número de anticorpos neutralizantes no soro sanguíneo de pessoas recuperadas ou vacinadas com Sputnik V diminuiu três vezes quando confrontados com a variante Gama do coronavírus. Essa reação não foi observada no caso das variantes Alfa e Lambda.

    ​Um novo relatório está em nossa página web. Foi o produto do trabalho de colaboração com o Biobanco de Doenças Infeciosas e o Hospital de Clínicas José de San Martín.

    É relatado, pela primeira vez, que a variante Lambda é eficientemente neutralizada por anticorpos gerados em resposta à infecção por variantes que circularam no país país em 2020, bem como por aqueles gerados em resposta à vacinação com a Sputnik V.

    Anteriormente, o Ministério da Saúde da Argentina informou que a aplicação de uma dose da vacina Sputnik V diminui a mortalidade contra a COVID-19 de 70% a 80% entre os pacientes na faixa etária de mais de 60 anos.

    A vacina Sputnik V contra o SARS-CoV-2, desenvolvida pelo Centro Nacional de Pesquisa de Epidemiologia e Microbiologia Gamaleya, foi a primeira do mundo a ser registada, em agosto de 2020.

    Tema:
    Coronavírus no mundo no início de julho de 2021 (15)

    Mais:

    COVID-19: estudo revela período que pacientes infectados demoram para recuperar olfato
    PF e MP vão investigar suspeitas envolvendo compra da vacina Covaxin pelo governo federal
    Virologista australiana que trabalhava em Wuhan não descarta vazamento do SARS-CoV-2, diz Bloomberg
    'Grave incidente': Kim critica altos funcionários norte-coreanos por erros na luta contra COVID-19
    Tags:
    cientistas, Argentina, vacina, Sputnik V, novo coronavírus, pandemia, COVID-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar