12:26 04 Agosto 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 30
    Nos siga no

    O fungo parecido com dedos humanos em decomposição está ameaçado de extinção, mas luta por sua existência na Austrália, se embrulhando em torno de árvores caídas.

    Hypocreopsis amplectens é um fungo conhecido como "dedos de árvore do chá", já que sua forma parece com dedos humanos agarrados à madeira no chão da floresta, mas sua cor marrom-rosada mosqueada e textura fazem esses "dedos" parecerem mais mortos de que vivos.

    De acordo com o portal Live Science, estes fungos são extremamente raros, e existem apenas em poucos locais no estado de Vitória, no sudoeste da Austrália.

    No entanto, uma expedição liderada pelos naturalistas dos Jardins Botânicos Reais de Vitória (RBGV, na sigla em inglês) encontrou ao menos mais dois locais de seu habitat.

    Raro fungo parasita "dedos de zumbi" está persistindo (por pouco) na Austrália.

    De acordo com o diretor da expedição, o pós-doutorado Michael Amor, a aparência carnuda do fungo pode ser repugnante aos olhos das pessoas, mas o mesmo evoluiu para essa forma bizarra para poder sobreviver.

    "Já que se encontra em ramos mortos, habitualmente desconectados, a forma de dedos pode lhe ajudar a ser flexível o suficiente para crescer sobre curvas/fendas e lidar com dobras, rachaduras e quedas", contou Amor à mídia.

    O fungo é um parasita, crescendo em outro fungo hospedeiro que apodrece a madeira. É também um petisco delicioso para larvas de traça e outros insetos, "então, isso é um exemplo das complexas teias alimentares que caracterizam ecossistemas intactos", de acordo com o especialista.

    Mais:

    Acampamento militar romano de 2.100 anos é encontrado em Portugal (FOTOS)
    Astrofísicos detectam pela 1ª vez rara fusão de buraco negro com estrela de nêutrons
    Descoberta de novo tipo de supernova revela mistério milenar
    Tags:
    ciência, zumbis, Austrália, fungos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar