12:51 05 Agosto 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 80
    Nos siga no

    Cientistas da Universidade do Arizona e do laboratório da NASA, EUA, conduziram um estudo segundo o qual sob o polo sul de Marte podem existir dezenas de lagos subterrâneos.

    Esta região do Planeta Vermelho pode conter maiores quantidades de água em estado líquido do que se pensava antes, ou então algo pode estar acontecendo sob a superfície marciana que os pesquisadores ainda não entendem completamente, escreve portal Space.

    Ao analisar dados de radar coletados pela sonda Mars Express em 2018, os pesquisadores a anunciaram ter encontrado evidências de um grande lago subterrâneo na região do polo sul de Marte. Segundo estimações, o lago parecia ter 19 km de largura e se localiza a cerca de 1,6 km de profundidade sob a superfície seca e gelada do planeta.

    No ano passado, a mesma equipe analisou detalhadamente os dados do Radar Avançado de Sondagem Ionosférica e do Subsolo de Marte (MARSIS, na sigla em inglês) para estudar o subsolo em uma ampla área ao redor do suposto lago. Este trabalho mostrou evidências para mais três lagos subterrâneos, cada um deles com cerca de 10 km de largura.

    Os pontos coloridos representam locais onde a sonda Mars Express da ESA detectou reflexos brilhantes na calota polar sul de Marte
    © Foto / ESA/NASA/JPL-Caltech
    Os pontos coloridos representam locais onde a sonda Mars Express da ESA detectou reflexos brilhantes na calota polar sul de Marte

    Agora, uma equipe diferente mergulhou mais a fundo nos dados. Aditya Khuller, estudante de doutorado da Universidade Estadual do Arizona, e Jeffrey Plaut, do Laboratório de Propulsão a Jato da NASA, analisaram 44.000 observações do MARSIS da região polar sul de Marte feitas ao longo de 15 anos.

    Eles descobriram dezenas de reflexos de radar, semelhantes aos quatro que foram interpretados como sendo lagos subterrâneos, ao longo de uma ampla faixa de distâncias horizontais e verticais. Porém, muitos dos sinais recentes foram detectados relativamente perto da superfície, em lugares aparentemente frios demais para suportar água líquida – até mesmo para água salgada que se supõe existir no subsolo marciano.

    A região branca brilhante desta imagem mostra a calota gelada que cobre o polo sul de Marte, composta por água congelada e dióxido de carbono congelado
    © Foto / ESA/DLR/FU Berlin/Bill Dunford
    A região branca brilhante desta imagem mostra a calota gelada que cobre o polo sul de Marte, composta por água congelada e dióxido de carbono congelado
    "Não temos a certeza se esses sinais são [de] água líquida ou não, mas eles parecem ser muito mais alastrados em comparação com os descobertos pelo estudo inicial", disse Plaut em comunicado. "Ou a água líquida é comum sob o polo sul de Marte, ou estes sinais são indicativos de algo diferente" afirmou.

    Não está claro o que poderia manter tantos lagos relativamente rasos - se os novos sinais indicam de fato lagos - sem congelar em Marte.

    Os pesquisadores do último estudo não conseguem explicar o que significam os reflexos recém-encontrados em Marte, mas esperam que os resultados de sua pesquisa, que foram publicados na revista Geophysical Research Letters, não permaneçam um mistério durante muito tempo.

    Mais:

    Telescópio da NASA libera FOTO de bolha de plasma quente onde nascem estrelas
    Descobrem 29 exoplanetas onde alienígenas poderiam observar Terra e capturar sinais de rádio
    'Amanhecer cósmico': astrônomos determinam quando surgiram primeiras estrelas após o Big Bang
    Tags:
    Marte, água, Planeta Vermelho, astronomia, NASA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar