07:01 27 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 41
    Nos siga no

    Acredita-se que as sepulturas na antiga capital sueca da era Viking tenham pertencido à primeira geração de cristãos.

    Sete tumbas cristãs datadas de há mais de 1.000 anos foram encontradas em Sigtuna, próximo da cidade de Uppsala.

    De acordo com os arqueólogos, os túmulos são datados do final do século X, ou seja, dos anos de fundação da cidade.

    "Elas [as sepulturas] são muito provavelmente da primeira geração de cristãos", afirmou à emissora SVT Johan Runer, do projeto arqueológico.

    As sepulturas foram descobertas durantes escavações para a construção de um prédio residencial.

    Посмотреть эту публикацию в Instagram

    Публикация от Arkeologi för alla (@arkeologiforalla)

    "O que é único é que diversas pessoas estão enterradas em caixões de madeira cobertos com pedras, uma construção jamais vista antes em Sigtuna", afirmou o especialista.

    As oito sepulturas tinham no interior diversos objetos, como uma faca, um cinto e um pente. Uma delas era de dois bebês, que aparentemente morreram durante o nascimento.

    Посмотреть эту публикацию в Instagram

    Публикация от Destination Sigtuna (@destination_sigtuna)

    A cidade de Sigtuna foi fundada por Eric, o Vitorioso, no ano de 970. Posteriormente, a cidade foi a capital no reinado de seu filho, o primeiro rei cristão da Suécia, Olof Skotkonung, que teve as primeiras moedas suecas cunhadas em Sigtuna.

    Em Sigtuna existem restos de uma suposta igreja datada do final dos anos 1000. Entre 1070 e 1120, Sigtuna serviu como sede episcopal.

    Mais:

    Túmulo de mulher da Era Viking impressiona arqueólogos (FOTOS)
    Navio funerário viking de mil anos revela estruturas ritualísticas na Noruega (FOTO)
    Nova importante evidência de famoso túmulo viking é descoberta na Dinamarca
    Tags:
    viking, túmulo, túmulos, sepulturas, arqueologia, arqueólogo, arqueólogos, Suécia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar