07:20 02 Agosto 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 40
    Nos siga no

    Novo estudo publicado na revista Nature sugere que poderia haver pelo menos 29 planetas potencialmente habitáveis “idealmente posicionados” para monitorar a Terra se tivessem uma civilização avançada.

    A fim de saber mais sobre como os seres humanos descobrem exoplanetas, uma equipe de cientistas da Universidade de Cornell, nos EUA, inverteu o procedimento para explorar quais planetas poderiam nos encontrar.

    Astrônomos que trabalham com o Museu Americano de História Natural em Nova York descobriram 2.034 sistemas estelares em nossa vizinhança galáctica, todos localizados dentro da margem de 326 anos-luz da Terra, que poderiam observar o trânsito de nosso planeta em torno do Sol.

    O estudo, publicado na revista Nature, avança que desde o início da civilização humana, cerca de 5.000 anos atrás, 1.715 desses sistemas poderiam ter avistado a Terra, e outros 319 sistemas poderão fazê-lo nos próximos 5.000 anos, afirma a pesquisa.

    Uma vez que o nosso Universo é dinâmico, o número de estrelas que poderiam observar nosso planeta varia de acordo com sua localização no espaço em relação ao Sistema Solar.

    Tendo em conta que os astrônomos descobriram que nem todas as estrelas são orbitadas por exoplanetas, eles acreditam que 29 exoplanetas rochosos na zona habitável estariam bem posicionados para capturar ondas de rádio transmitidas por seres humanos mais de um século atrás.

    "Do ponto de vista dos exoplanetas, nós é que somos os alienígenas", disse Lisa Kaltenegger, professora de astronomia e diretora do Instituto Carl Sagan da Universidade de Cornell, citada pelo Daily Mail.

    "Queríamos saber quais estrelas têm o ponto de observação certo para observar a Terra quando ela bloqueia a luz do Sol", acrescentou.

    Proxima b, exoplaneta parecido com a Terra (imagem ilustrativa)
    © Foto / eso.org
    Proxima b, exoplaneta parecido com a Terra (imagem ilustrativa)

    De acordo com o estudo, o método de trânsito é uma das abordagens mais comuns usadas por astrônomos para encontrar planetas em outros sistemas estelares. Eles procuram por variações no brilho da estrela. E para sermos capazes de ver o exoplaneta, a estrela que ele orbita, e a Terra que passa, é preciso que haja um posicionamento preciso do exoplaneta, da estrela e da Terra.

    Os pesquisadores descobriram que, ao longo do período estudado de 10.000 anos, 2.034 sistemas estelares passaram pela zona de trânsito da Terra, e 117 deles fizeram-no a 100 anos-luz do Sol.

    Segundo aponta o estudo, cada um desses planetas tem ou terá a capacidade de detectar a Terra, tal como os cientistas da Terra têm descoberto inúmeros mundos que orbitam outras estrelas.

    Se os exoplanetas abrigam vida inteligente, eles podem observar a Terra enquanto ela é iluminada por trás pelo Sol e ver os indícios químicos da existência de vida, como o oxigênio em nossa atmosfera.

    "Nossa análise mostra que até mesmo as estrelas mais próximas passam mais de 1.000 anos em um ponto de observação onde podem ver o trânsito da Terra", ressaltou Kaltenegger.

    "Se assumirmos que o [procedimento] inverso for verdade, isso fornece uma linha de tempo aceitável para civilizações nominais identificarem a Terra como um planeta interessante."

    Esta estimativa é baseada na ideia da vida tal como a conhecemos, o que exige água e um ambiente rochoso.

    Mais:

    Astrônomos confirmam que Via Láctea se fundiu com galáxia misteriosa há 10 bilhões de anos
    Inesperado! Cientistas detectam metais antes associados a ambientes quentes por todo o Sistema Solar
    Cientistas descobrem planeta parecido a Netuno que pode ter nuvens de água
    Tags:
    astronomia, onda de rádio, tecnologia alienígena, vida inteligente, exoplanetas
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar