06:09 02 Agosto 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    1170
    Nos siga no

    O sapato achado em um pântano teve o couro bem preservado pela lama, deixando sua estrutura e correia intactas. Restos de uma estrada da Idade do Bronze também foram encontrados, junto com um eixo de carroça quebrado.

    Um sapato de couro que ficou perdido em um pântano por dois mil anos foi encontrado por arqueólogos que acreditam que ele pode ter escorregado do pé do proprietário quando este acidentalmente pisou na lama pegajosa. A peça foi descoberta na Baixa Áustria, ao lado de restos de uma estrada de madeira de mais de dois milênios.

    A estrada é apenas uma coleção de tábuas de madeira desgastadas originalmente colocadas no pântano para as pessoas passarem com segurança. Restos de um eixo de carruagem quebrado também foram retirados do local, o que os pesquisadores dizem que pode encaixar bem com o fato de o proprietário ter perdido seu sapato anos atrás.

    Restos de uma estrada de madeira com mais de dois milênios onde os arqueólogos encontraram o sapato de couro, na Alemanha
    Restos de uma estrada de madeira com mais de dois milênios onde os arqueólogos encontraram o sapato de couro, na Alemanha

    "O eixo de uma carroça de madeira, provavelmente puxada por gado, se partiu em dois e a carroça sofreu um acidente na estrada esburacada", compartilhou a empresa de escavação denkmal3D de Vechta, Alemanha, em um comunicado.

    "Enquanto fazia isso ou tentava recuperar as peças do carro, o dono do sapato caiu ou pisou ao lado do caminho e o sapato ficou preso na lama pegajosa", estimam os estudiosos.

    Os pesquisadores envolvidos nas escavações acreditam que as condições ácidas do pântano onde o calçado foi encontrado permitem a preservação de materiais e até de corpos humanos.

    Um sapato de couro perdido em um pântano 2 mil anos atrás foi encontrado por arqueólogos que acreditam que o calçado pode ter escorregado do pé do proprietário quando ele pisou na lama
    Um sapato de couro perdido em um pântano 2 mil anos atrás foi encontrado por arqueólogos que acreditam que o calçado pode ter escorregado do pé do proprietário quando ele pisou na lama

    O Ministro da Ciência e Cultura da Baixa Saxônia, Bjorn Thumler, disse na declaração: "Os mais conhecidos são os cadáveres do pântano, mas também ídolos de madeira, longos caminhos de madeira e vários outros vestígios de vida naquela época fazem parte disso", exemplifica.

    "Um sapato que se perde e é encontrado novamente após dois mil anos, o sapato mais antigo da Baixa Saxônia até hoje, é um testemunho imensamente pessoal de uma vida anterior", falou ao Daily Mail.

    Este sapato de couro pode ser o mais antigo da Alemanha, mas o mais velho do mundo já descoberto remonta a cerca de 5.500 anos e foi achado em uma caverna na Armênia. Encontrado há mais de 10 anos, estaria tão bem preservado que mesmo os cadarços foram encontrados intactos.

    ​Este sapato de couro de 5.500 anos é o mais antigo já descoberto.

    Os arqueólogos dizem que o sapato provavelmente pertencia a uma mulher que o enterrou deliberadamente na caverna durante um ritual misterioso. A caverna também continha três potes, cada um contendo o crânio de uma criança, junto com recipientes de cevada, trigo e damasco.

    Mais:

    Arqueólogos encontram 'Pompeia em miniatura' ao escavar antigo cinema na Itália (FOTO)
    Garrafa com mensagem dentro lançada ao Atlântico é encontrada em Portugal (FOTO)
    Encontradas pegadas dos últimos dinossauros que pisaram no Reino Unido há 110 milhões de anos (FOTO)
    Tags:
    sítio arqueológico, arqueologia, calçado, pântano, Alemanha, sapatos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar