12:10 04 Agosto 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 40
    Nos siga no

    Segundo cientistas, 36 galáxias anãs distantes umas das outras tiveram uma explosão de nascimento de novas estrelas ao mesmo tempo. A descoberta alvoroçou o meio científico por ser bastante incomum.

    De acordo com um estudo conduzido pela Universidade Rutgers, nos EUA, galáxias com mais de um milhão de ano-luz de distância deveriam ser independentes em relação ao momento que dão à luz a novas estrelas. No entanto, galáxias separadas por até 13 milhões de anos-luz desaceleraram e, em seguida, aceleraram simultaneamente sua taxa de nascimento de estrelas.

    A pesquisa detalhou que as 36 galáxias anãs incluíam uma ampla variedade de ambientes a distâncias de até 13 milhões de anos-luz da Via Láctea. A mudança ambiental à qual as galáxias aparentemente responderam deve ser algo que distribui combustível para galáxias muito distantes umas das outras. 

    Sendo assim, a pesquisa descobriu que a diminuição simultânea na taxa de natalidade estelar nas 36 galáxias anãs começou há seis bilhões de anos, e o aumento começou há três bilhões de anos.

    Diferentemente de uma galáxia espiral ou elíptica, a galáxia KK 246 parece brilho derramado sobre uma folha de veludo preta. KK 246, também conhecida como ESO 461-036, é uma galáxia anã irregular que reside dentro do Vazio Local, uma vasta região de espaço vazio
    © Foto / ESA / Hubble & NASA, E. Shaya, L. Rizzi, B. Tully, et al. / Brilho estelar em campo preto
    Galáxia anã KK 246

    Isso pode significar encontrar uma enorme nuvem de gás, por exemplo, ou um fenômeno no Universo que ainda não conhecemos, de acordo com Charlotte Olsen, uma estudante de doutorado do Departamento de Física e Astronomia da Escola de Artes e Ciências na Universidade Rutgers.

    "Parece que essas galáxias estão respondendo a uma mudança em grande escala em seu ambiente da mesma forma que uma boa economia pode impulsionar um baby boom", disse a doutoranda.

    A equipe de cientistas usou dois métodos para comparar as histórias de formação de estrelas, um usando a luz de estrelas individuais dentro das galáxias e outro usando a luz de uma galáxia inteira, incluindo uma ampla gama de cores.

    Outra opção para melhorar o entendimento sobre o fenômeno, programada para outubro desse ano, será sua observação através do Telescópio Espacial James Webb, programado para ser lançado pela NASA no mês referido.

    De acordo com Olsen, o telescópio será a maneira ideal para adicionar novos dados e assim descobrir a que distância da Via Láctea esse "baby boom" das 36 galáxias aconteceu.

    Mais:

    Astrônomos encontram enormes 'destroços de galáxias' nas proximidades da Via Láctea (FOTO)
    Novo mapa de matéria escura revela pontes ocultas entre galáxias (FOTO)
    Astrônomos descobrem em uma galáxia buraco negro supermassivo 'moribundo' (FOTO)
    Hubble capta galáxia espiral estranhamente deformada (FOTO)
    Tags:
    Universo, galáxias, nascimento, astronomia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar