22:26 23 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    Coronavírus no mundo no início de junho de 2021 (22)
    0 192
    Nos siga no

    OMS aceitou na terça-feira (1º) para uso emergencial a vacina CoronaVac da Sinovac da China, tratando-se da segunda do país a receber esse status.

    A Organização Mundial da Saúde (OMS) aprovou na terça-feira (1º) a vacina Sinovac para uso emergencial contra a COVID-19, cita a AFP.

    "A OMS validou hoje a vacina contra COVID-19 da Sinovac-CoronaVac para uso emergencial, dando aos países, financiadores, agências adquirentes e comunidades a garantia de que ela atende aos padrões internacionais de segurança, eficácia e fabricação", anunciou a agência de saúde das Nações Unidas em uma declaração.

    "A vacina é produzida pela empresa farmacêutica Sinovac, sediada em Pequim", disse a OMS.

    Um painel independente de especialistas recomendou a vacina da Sinovac para pessoas maiores de 18 anos, com uma segunda dose de duas a quatro semanas depois, sem limite superior de idade devido à probabilidade de ter um efeito protetor em pessoas idosas.

    Além das garantias de segurança, eficácia e fabricação, a autorização de emergência da OMS permite que a vacina seja incluída no COVAX, o programa global para fornecer vacinas, principalmente para países pobres, que atualmente enfrentam grandes problemas de fornecimento devido à suspensão das exportações de vacinas da Índia, escreve na terça-feira (1º) a agência britânica Reuters.

    Em 7 de maio, a vacina desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinopharm se tornou a primeira do país a receber aprovação emergencial da OMS. A farmacêutica chinesa CanSino Biologics também apresentou dados de ensaios clínicos de sua vacina, mas ainda não tem revisão marcada pela agência de saúde da ONU.

    Tema:
    Coronavírus no mundo no início de junho de 2021 (22)

    Mais:

    Taiwan diz que China bloqueou acordo entre Taipé e Pfizer/BioNTech para vacinas contra COVID-19
    'Dose única da vacina da CanSino é interessante, pois dá grande vantagem', avalia epidemiologista
    China reduz envio de insumos para produção da CoronaVac no Brasil
    Tags:
    COVID-19, Pequim, Índia, COVAX Facility, AFP, Reuters, Nações Unidas, ONU, Organização Mundial da Saúde (OMS), Organização Mundial da Saúde, OMS
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar