09:07 23 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 140
    Nos siga no

    A dez mil metros de profundidade, os cientistas encontraram diversas peças de roupa, um urso de pelúcia, embalagens e muitas bolsas.

    O oceanologista filipino Deo Florence Onda e seu colega norte-americano Victor Vescovo, da Caladan Oceanic, uma organização privada dedicada ao avanço da tecnologia submarina, realizaram no final de março a primeira viagem à terceira fossa oceânica mais profunda da Terra, encontrando plástico e outro lixo no local, informa o Channel News Asia.

    A bordo de um pequeno veículo submarino, desenvolvido pela empresa norte-americana Triton Submarines, os cientistas desceram até o ponto mais profundo da fossa das Filipinas, denominada Galathea, a mais de dez quilômetros de profundidade.

    Plástico e lixo no ponto mais profundo da fossa das Filipinas
    Plástico e lixo no ponto mais profundo da fossa das Filipinas

    Ao longo de 12 horas, desceram e exploraram a fossa, movidos pelo desejo de contemplar os seres vivos que pudessem habitar o local.

    "Quando estávamos a ponto de chegar ao fundo, esperava ver coisas assustadoras se movendo, se aproximando sorrateiramente ou dando uma olhada pelas janelas", recorda Deo Florence em declarações à emissora Channel News Asia.

    Contudo, os cientistas ficaram espantados por verem coisas que já conheciam bem.

    "A única coisa incomum no fundo era o lixo. Havia muito lixo na fossa. Havia muitos plásticos, um par de calças, uma camiseta, um urso de pelúcia, embalagens e muitas sacolas de plástico", explicou o especialista.

    A principal pesquisa de Deo Onda está focada no ciclo de vida e no papel dos microrganismos, como o fitoplâncton, que ajudam a produzir oxigênio e se encontram entre os principais impulsionadores da acumulação de energia e biomassa no ecossistema marinho.

    Um pequeno DSV Limiting Factor, desenvolvido pela empresa norte-americana Triton Submarines
    Um pequeno DSV Limiting Factor, desenvolvido pela empresa norte-americana Triton Submarines

    Os cientistas admitem que ainda são precisas mais investigações para saber como o lixo chega a tais profundezas, através de diferentes densidades da água e percorrendo grandes distâncias.

    Mais:

    Índia comissiona submarino furtivo em meio à disputa de poder no oceano Índico (VÍDEO, FOTO)
    Descobrem nas profundezas oceânicas bactérias 'invisíveis' para sistema imunológico humano
    Marinha dos EUA quebra recorde de profundidade oceânica ao recuperar helicóptero MH-60S (FOTO)
    Tags:
    poluição, lixo, oceanografia, oceano, exploração
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar