22:25 23 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 30
    Nos siga no

    Uma supernova, descoberta próximo da constelação de Cassiopeia por um astrônomo amador japonês há dois meses, tornou-se 50 vezes mais brilhante, o que é considerado um fenômeno raro.

    A supernova foi descoberta pela primeira vez em 18 de março por Yuji Nakamura, que testemunhou o resultado da explosão de uma estrela a cerca de 10.000 anos-luz da Terra, na região da constelação de Cassiopeia.

    Na ocasião, Nakamura usou um telescópio com lentes de 135 milímetros e uma exposição de 15 segundos e conseguiu registrar um brilho de magnitude 9,6 onde dias antes não havia nada.

    ​​Um astrônomo amador japonês, Yuji Nakamura, descobriu um novo objeto em Cassiopeia às 19h10m, 18 de março (07h10 no horário de Brasília) e o comunicou ao NAOJ [Observatório Astronômico Nacional do Japão] para relatórios de novos objetos astronômicos.

    Conforme relatado pela emissora japonesa NHK, o brilho da estrela aumentou 50 vezes até o dia 9 de maio, tonando possível observar este fenômeno cósmico a olho nu.

    A emissora japonesa observou que os astrônomos encontram uma média de aproximadamente 20 novas estrelas por ano, mas a maioria delas fica mais brilhante apenas por alguns dias, desaparecendo gradualmente.

    Os especialistas do Observatório Astronômico do Japão não descartaram que uma poderosa explosão possa ter ocorrido em sua superfície.

    Mais:

    Redemoinhos hipnotizantes: sonda da NASA estuda fenômeno peculiar em Júpiter (FOTOS)
    Tecnologia moderna é incapaz de evitar impacto de asteroide contra Terra, indica NASA
    NASA testa sistema para posicionamento de aeronaves em voo supersônico
    Tags:
    fenômeno, astrônomo, supernova, estrelas, descoberta
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar