22:35 23 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    Mundo em meio à pandemia da COVID-19 no fim de maio de 2021 (61)
    0 80
    Nos siga no

    A pesquisa realizada pela Universidade de Yokohama, no Japão, demonstrou que 96% das pessoas infectadas pelo coronavírus ainda mantêm os anticorpos um ano após sua recuperação.

    Conforme a agência de notícias Kyodo, o estudo analisou resultados provenientes de 250 pessoas de idades entre 21 e 78 anos que testaram positivo ao vírus entre fevereiro e abril do ano passado.

    Os autores da pesquisa estabeleceram que todos os pacientes que tiveram sintomas mais graves mantiveram anticorpos ativos no ano seguinte, enquanto 97% dos infectados com sintomas leves ou sem sintomas mantiveram anticorpos nos primeiros seis meses após a doença. Um ano depois, 96% deles ainda tinham anticorpos contra o coronavírus.

    A pesquisa também revelou que apenas 69% das pessoas que adoeceram no ano passado com sintomas leves ou nenhuns sintomas tinham anticorpos para combater a variante sul-africana seis meses após a infecção, 75% tinham contra a variante indiana, 85% possuíam contra a cepa brasileira e o mesmo contra a mutação britânica.

    Imagem de microscópio eletrônico de transmissão do SARS-CoV-2, também conhecido como novo coronavírus, o vírus que causa a doença COVID-19, isolado de um paciente nos EUA, sem data
    © REUTERS / Instituto Nacional de Alergias e Doenças Infecciosas dos EUA-Laboratórios Rocky Mountain dos EUA
    Imagem de microscópio eletrônico de transmissão do SARS-CoV-2, também conhecido como novo coronavírus, o vírus que causa a doença COVID-19, isolado de um paciente nos EUA, sem data

    De acordo com resultados do estudo, tais percentagens diminuíram no ano seguinte após a doença.

    No entanto, os pesquisadores concluíram que as pessoas que estiveram doentes com o SARS-CoV-2 nos primeiros meses da pandemia, especialmente se tiveram sintomas leves ou eram assintomáticas, devem ainda se vacinar, a fim de evitar a reinfecção com as variantes do Reino Unido, África do Sul, Brasil ou Índia.

    Tema:
    Mundo em meio à pandemia da COVID-19 no fim de maio de 2021 (61)

    Mais:

    Cepa indiana da COVID-19 chega ao Brasil: 'Variante pode causar nova onda de casos', diz médica
    Brasil registra 2.136 mortes por COVID-19 nas últimas 24 horas
    Uruguai registra recorde de infecções diárias por COVID-19 pelo 2º dia consecutivo
    Tags:
    Japão, estudo, infecção, anticorpos, novo coronavírus, COVID-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar