09:46 21 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 70
    Nos siga no

    Cerca de 87 pegadas pertencentes a 36 neandertais foram encontradas em uma "área alagada" no sul da Espanha, que poderiam ser de pessoas jovens, segundo paleontólogos que conduziram a pesquisa.

    Um estudo publicado na revista Scientific Reports detalhou que 87 pegadas neandertais foram descobertas em Andaluzia, no sul da Espanha moderna.

    Os pesquisadores foram capazes de determinar as pegadas pertencentes a pelo menos 36 indivíduos, provavelmente familiares: 11 crianças e 25 adultos, com cinco mulheres, 11 homens e seis pessoas de sexo desconhecido entre os últimos.

    Eduardo Mayoral, o autor principal do estudo, revelou ao portal Live Science que algumas das 87 pegadas descobertas na praia espanhola de Matalascañas "poderiam indicar uma área de passagem de indivíduos muito jovens, como se eles estivessem brincando ou vagando na margem da área alagada próxima".

    Segundo a pesquisa, as pegadas foram descobertas pela primeira vez por dois biólogos em junho de 2020. A dupla foi capaz de descobrir as pisadas devido à erosão causada por tempestades e marés altas.

    Pegadas hominídeas em Matalascañas, Espanha. (a) Vista detalhada de algumas pegadas. (a1) M2020-93, (a2) M2020-17, (a3) M2020-15, (a4) M2020-06, (a5) M2020-08, (a6) M2020-14. Barra de escala, 5 cm. Vistas naturais, modelos sólidos e elevação 3D sombreada com imagens de curvas de nível. (b1) M2020-12, (b2) M2020-22, (b3) M2020-19, (b4) M2020-18, (b5) M2020-20, (b6) M2020-21. Barra de escala, 5 cm
    © Foto / Mayoral et al.
    Pegadas hominídeas em Matalascañas, Espanha. (a) Vista detalhada de algumas pegadas. (a1) M2020-93, (a2) M2020-17, (a3) M2020-15, (a4) M2020-06, (a5) M2020-08, (a6) M2020-14. Barra de escala, 5 cm. Vistas naturais, modelos sólidos e elevação 3D sombreada com imagens de curvas de nível. (b1) M2020-12, (b2) M2020-22, (b3) M2020-19, (b4) M2020-18, (b5) M2020-20, (b6) M2020-21. Barra de escala, 5 cm

    Os cientistas acreditam que a "área alagada" acima mencionada poderia ter sido uma espécie de orifício de irrigação ao longo da costa.

    "Provavelmente a água não teria sido fresca, mas um pouco salobra, já que encontramos evidências de cristais de sal marinho [halita] na superfície onde as pegadas são encontradas", detalha o estudo.

    Segundo ele declarou à mídia, as pegadas menores "apareceram agrupadas em um grupo caótico", podendo pertencer a crianças neandertais brincando em areia na margem do orifício.

    Embora os cientistas tenham rapidamente conseguido ligar rastros de animais fossilizados próximos a pegadas de cervos e javalis, foi a análise da equipe de pesquisa de Mayoral que determinou que as outras pegadas pertenciam a neandertais.

    Os pesquisadores determinaram anteriormente que as pegadas impressas em "arenito fino a médio", podem remontar ao período do Pleistoceno Superior, cerca de 106 mil anos atrás.

    "A distribuição das pegadas neandertais está fora da área alagada, onde se encontra a passagem de grandes mamíferos e aves, e sua orientação é principalmente perpendicular à linha da costa", concluiu a equipe de pesquisa.

    Mais:

    Genomas de africanos revelam traços de arcaicos hominídeos 'fantasmas'
    Evidência genética humana mais antiga é recuperada em fóssil de 800 mil anos (FOTOS)
    Sítio arqueológico revela que neandertais viveram na atual Paris (FOTOS)
    Tags:
    Scientific Reports, Andaluzia, Espanha, Live Science
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar