06:37 18 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 20
    Nos siga no

    Pesquisadores em Israel apontam que os criadores das pinturas podem ter passado pela hipóxia, que "aumenta a liberação de dopamina no cérebro, resultando em alucinações e experiências fora do corpo".

    Um novo estudo realizado pelos pesquisadores Yafit Kedar e Ran Barkai da Universidade de Tel Aviv, Israel, juntamente com um pesquisador independente chamado Gil Kedar, oferece uma explicação sobre a razão de as pessoas do período Paleolítico terem escolhido cavernas profundas para expressar seus lados artísticos em oposição a lugares mais acessíveis, relata o jornal Haaretz.

    Como Yafit Kedar explicou ao jornal, durante sua visita a cavernas com arte rupestre na Europa ela se perguntava por que razão essas pessoas "iriam para a escuridão, para tal reclusão" para fazer o que fizeram.

    Os pesquisadores explicaram no estudo publicado na revista Time and Mind como eles "simularam o efeito das tochas nas concentrações de oxigênio em estruturas semelhantes a cavernas decoradas do Paleolítico", mostrando que "o oxigênio rapidamente diminuiu para níveis conhecidos por induzir um estado de hipóxia". Os cientistas também referiram que o fenômeno de intoxicação ritual é observado nos caçadores-coletores modernos.

    Pintura de rinoceronte com grande chifre
    Pintura de rinoceronte com grande chifre

    "A hipóxia aumenta a liberação de dopamina no cérebro, resultando em alucinações e experiências fora do corpo", escreveram eles.

    "Discutimos o significado das cavernas nas visões indígenas de mundo, e afirmamos que entrar nesses ambientes profundos e escuros foi uma escolha consciente, motivada pela compreensão da natureza transformadora de um espaço subterrâneo, esgotado pelo oxigênio."

    A equipe argumentou ainda que "não foi a decoração que tornou as cavernas significativas", mas "ao contrário, o significado das cavernas escolhidas foi a razão de sua decoração", podendo ser "espíritos, ancestrais, quem sabe".

    Mais:

    Pinturas de aproximadamente 3.000 anos são encontradas em caverna tailandesa (FOTOS)
    Pinturas rupestres de 900 anos são restauradas para ficarem na eternidade na Índia (FOTOS)
    Arte rupestre mais antiga do mundo é encontrada em caverna da Indonésia (FOTOS)
    Tags:
    Israel, Europa, Haaretz, Universidade de Tel Aviv, Tel Aviv
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar