00:05 18 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    Coronavírus no mundo no início de abril de 2021 (58)
    250
    Nos siga no

    Um membro regional do Centro Estatal de Pesquisa de Virologia e Biotecnologia Vektor russo, que desenvolveu a vacina EpiVacCorona, disse que ela pode ser usada por maiores de 18 anos.

    Até 94% dos idosos desenvolvem anticorpos contra o SARS-CoV-2 após serem inoculados com a vacina russa EpiVacCorona, disse nesta quarta-feira (7) o diretor do departamento de Ekaterinburgo do Centro Estatal de Pesquisa de Virologia e Biotecnologia Vektor, Rússia, que desenvolveu a vacina.

    "Sabemos com certeza que a vacina pode ser usada por todos os maiores de 18 anos, agora vamos para baixo [proceder à vacinação dos cidadãos mais jovens]. Entendemos que a injeção da vacina resulta no desenvolvimento de anticorpos eficazes em 94% dos casos", referiu Aleksandr Semyonov à emissora de televisão estatal Rossiya 24.

    O Serviço Federal de Defesa dos Direitos dos Consumidores e Bem-Estar Humano da Rússia (Rospotrebnadzor) detalhou mais tarde que Semyonov estava falando sobre anticorpos em maiores de 60 anos de idade.

    A vacina EpiVacCorona foi autorizada em março para idosos de pelo menos 60 anos de idade.

    A vacina é um medicamento à base de peptídeo que usa uma plataforma sintética. Os peptídeos, fragmentos curtos e sintetizados artificialmente de proteínas virais, que estão contidos na vacina, ajudam o sistema imunológico a aprender como reconhecer e depois neutralizar o vírus.

    Tema:
    Coronavírus no mundo no início de abril de 2021 (58)

    Mais:

    Duas vacinas russas contra COVID-19 são eficazes contra nova cepa britânica do coronavírus
    EpiVacCorona está sendo testada em todas as cepas de coronavírus na Rússia
    Vacina russa contra COVID-19 é a mais segura de todas, diz Putin
    Primeiro grande lote da vacina EpiVacCorona é enviado para regiões da Rússia
    Tags:
    Ekaterinburgo, Rossiya 24, Rospotrebnadzor, Rússia, COVID-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar