22:10 03 Agosto 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    COVID-19 no mundo no final de março de 2021 (98)
    7310
    Nos siga no

    Novo estudo dos EUA diz que vacinas Pfizer e Moderna garantem 90% de proteção contra o coronavírus após 2ª dose. Desenvolvedores da Sputnik V reafirmam proteção de 91,6%, ultrapassando as consideradas mais eficazes pelo estudo.

    As vacinas contra a COVID-19 desenvolvidas pela Pfizer com a BioNTech e pela Moderna são altamente eficazes e reduziram o risco de infecção em 90%, duas semanas após a segunda injeção entre as primeiras pessoas que receberam a vacina, de acordo com uma nova pesquisa do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, na sigla em inglês) dos EUA, publicado nesta segunda-feira (29).

    "Este estudo mostra que nossos esforços nacionais de vacinação estão funcionando. As vacinas licenciadas contra a COVID-19 forneceram proteção substancial e precoce contra a infecção para o pessoal de saúde de nosso país, de primeiros socorros e outros trabalhadores essenciais da linha de frente", disse a diretora do CDC, Rochelle Walensky.

    De acordo com a especialista, a descoberta oferece esperança aos "milhões de americanos que recebem vacinas de mRNA" e para aqueles que ainda serão vacinados. Da mesma forma, Walensky enfatizou que "as vacinas licenciadas [Pfizer e Moderna] são as principais ferramentas que ajudarão a acabar com esta pandemia devastadora". O estudo do CDC não cita a Sputnik V.

    Os resultados atuais garantem que os imunizados começam a desenvolver proteção duas semanas após a primeira dose. A maior proteção foi observada entre aqueles que receberam as duas doses recomendadas do medicamento.

    'Sputnik V é agora a mais eficaz do mundo?'

    Por sua vez, os desenvolvedores da vacina russa contra o coronavírus, Sputnik V, destacaram no Twitter que a eficácia de seu medicamento chega a 91,6%, superando a da Pfizer/BioNTech e a da Moderna.

    A Sputnik V é agora a vacina mais eficaz do mundo, com eficácia de 91,6%? Pfizer e Moderna mostram eficácia de 90% em um estudo no mundo real do CDC.

    Além disso, o imunizante russo demonstrou a mesma eficácia em todas as faixas etárias em que seu uso é permitido, disse Aleksandr Gintsburg, diretor do Centro Nacional de Pesquisa de Epidemiologia e Microbiologia Gamaleya, na Rússia, no início de março.

    Gintsburg observou que todas as pessoas vacinadas mostraram boa tolerância e resposta corporal à vacina. Entre outros detalhes, ele destacou que a Sputnik V é de classe mundial e explicou que os desenvolvedores esperam que o medicamento forneça imunidade superior a dois anos.

    Tema:
    COVID-19 no mundo no final de março de 2021 (98)

    Mais:

    Fundo Russo de Investimentos Diretos entrega candidatura da vacina Sputnik V ao COVAX
    Macedônia do Norte recebe 2º lote da vacina Sputnik V contra a COVID-19
    Moscou e Pequim firmam acordo para produzir 60 milhões de doses da Sputnik V na China
    Venezuela recebe 3ª remessa da vacina russa Sputnik V (FOTOS)
    Tags:
    vacina, Sputnik V, Pfizer, novo coronavírus, eficácia, estudo, proteção
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar