23:42 16 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 30
    Nos siga no

    Uma nova pesquisa revelou que os crocodilos floresciam em terra e nos oceanos como resultado de uma evolução rápida.

    Um novo estudo liderado por pesquisadores da Universidade de Bristol, Reino Unido, fornece novas evidências do rápido florescimento evolutivo que os crocodilos tiveram, tanto em terra quanto nos oceanos entre 230 e 80 milhões de anos atrás.

    Ao contrário do que ocorre com as atuais espécies de crocodilos, que ocupam rios e lagos em áreas úmidas e quentes do planeta, no passado esses animais ocupavam os mais diversos nichos, muitos deles hoje ocupados por mamíferos. O estudo publicado nesta quarta-feira (24) na revista científica Proceedings of the Royal Society B mostra que os crocodilos antigos eram muito mais variados devido à rápida evolução.

    ​"Oportunidade ecológica e a ascensão e queda da inovação evolutiva dos crocodilomorfos", novo artigo de Tom Stubbs e colegas em Proceedings of the Royal Society B

    Na época dos dinossauros, alguns crocodilos experimentaram adaptações semelhantes às dos golfinhos para viver nos oceanos, e outros viveram em terra como herbívoros que se movem rapidamente. O trabalho se baseia na análise de mais de 200 crânios e mandíbulas que abrangem 230 milhões de anos de história desses animais e de seus parentes extintos.

    "Os crocodilos e seus ancestrais são um grupo incrível para compreender a ascensão e queda da biodiversidade […]. Hoje existem apenas 26 espécies de crocodilos, a maioria das quais muito semelhantes. No entanto, existem centenas de espécies fósseis com variações espetaculares, particularmente no que diz respeito à alimentação", afirma em comunicado Tom Stubbs, principal autor do estudo.

    Há muito tempo é sugerido que mudanças dramáticas no habitat e na dieta podem desencadear uma evolução rápida, mas esses padrões geralmente são relatados apenas em grupos com grande variedade hoje em dia, como pássaros, mamíferos e peixes. Esta é a primeira vez que essa tendência é mostrada em crocodilos, um grupo com uma rica história fóssil, mas com baixa diversidade moderna.

    "Novos métodos de última geração agora significam que podemos testar as diferenças na velocidade da evolução ao longo do tempo e entre grupos", explica Armin Elsler, coautor do estudo.

    A nova pesquisa coloca em cima da mesa a grande incógnita de por que esses animais apresentam grande variedade apenas no passado e a perderam ao longo do caminho.

    "Crocodilos antigos tinham uma variedade espetacular de formas […]. Eles foram adaptados para correr em terra, nadar na água e pegar peixes e até comer plantas. Nosso estudo mostra que essas formas muito diferentes de vida evoluíram incrivelmente rápido, permitindo que crocodilos extintos prosperassem e dominassem nichos ecológicos por milhões de anos", garante Stephanie Pierce, também coautora do estudo.

    "Não está claro por que os crocodilos modernos são tão limitados em suas adaptações […]. Se apenas tivéssemos essa espécie, poderíamos argumentar que eles são limitados em seus modos de vida devido ao sangue frio ou à anatomia. No entanto, o registro fóssil mostra suas incríveis habilidades, incluindo um bom número de espécies nos oceanos e na terra. Talvez eles só tenham se saído bem quando o clima do mundo estava mais quente do que hoje", sugere Michael Benton, coautor do estudo.

    Mais:

    Vou dar uma bitoca: homem destemido tasca beijo em crocodilo
    Australiano sobrevive a ataque de crocodilo tirando cabeça de dentro das mandíbulas da fera
    Crocodilo colossal luta ferozmente com resgatadores após invadir piscina na África do Sul (VÍDEO)
    Crocodilo monstruoso devora tubarão em praia australiana
    Tags:
    extinção, fósseis, fóssil, dinossauro, crocodilo
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar