21:40 22 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 30
    Nos siga no

    Astrônomos do Observatório de Raios X Chandra da NASA captaram evidências da existência de um jato extraordinariamente longo de partículas proveniente de um buraco negro supermassivo em uma galáxia distante.

    A luz detectada deste jato foi emitida quando o Universo tinha apenas 0,98 bilhões de anos - menos de um décimo de sua idade atual- segundo um estudo publicado pela The Astrophysical Journal.

    O enigma não resolvido de como os buracos negros no início do Universo cresceram até serem mil milhões de vezes a massa do Sol tem atormentado há muito os astrónomos.

    Caso o fato seja confirmado, este seria o buraco negro supermassivo mais distante jamais detectado, localizado a cerca de 12,7 bilhões de anos-luz da Terra.

    jato extraordinariamente longo de partículas proveniente de um buraco negro supermassivo em uma galáxia distante
    Ilustração do jato extraordinariamente longo de partículas proveniente de um buraco negro supermassivo em uma galáxia distante

    O fato pode ajudar a compreender a formação dos buracos negros gigantes nas etapas primordiais da história do Universo.

    A fonte do jato é um quasar, um buraco negro supermassivo de rápido crescimento, chamado PSO J352.4034-15.3373, ou PJ352-15, que está localizado no centro de uma galáxia jovem.

    Este é um dos dois quasares mais poderosos já detectados em ondas de rádio, sendo aproximadamente um bilhão de vezes maior que o Sol.

    "Se um carrossel se mover rapidamente, será difícil para uma criança se mover em direção ao centro, então alguém ou algo precisa reduzir o movimento. Em torno dos buracos negros supermassivos encontramos jatos que podem fornecer energia suficiente para que o material possa cair em seu interior, fazendo com que o buraco negro cresça", afirmou Thomas Connor do Laboratório de Propulsão a Jato da NASA.

    Com isso, os cientistas poderão desvendar o mistério de como os buracos negros supermassivos foram capazes de crescer de maneira tão rápida, para atingir massas enormes no início da história do Universo.

    "O comprimento deste jato é significativo porque indica que o buraco negro supermassivo que o alimenta vem crescendo há um período de tempo considerável", disse por sua vez o coautor Eduardo Bañados, do Instituto Max Planck de Astronomia (MPIA) em Heidelberg, Alemanha.

    Os astrônomos observaram o PJ352-15 durante três dias, até que detectaram a emissão de raios X a aproximadamente 160.000 anos-luz de distância.

    Além de o fato de o PJ352-15 ter o jato mais longo observado, ele também está aproximadamente 300 milhões de anos-luz mais distante do que o jato de raios X anteriormente detectado.

    Mais:

    'Estupendamente grandes': cientistas descobrem buracos negros maiores que os supermassivos
    Estudo detecta pela 1ª vez em que resulta colisão de 3 buracos negros
    'Fonte inesgotável': civilizações do futuro poderão extrair energia de buracos negros, diz estudo
    Tags:
    NASA, estudo, astrônomo, jatos, jato, buraco negro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar