20:23 16 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    140
    Nos siga no

    Cientistas russos descobriram que a magnetosfera de Marte é mais complexa e inclui uma camada de átomos aquecidos da ionosfera superior do planeta e de íons mais energéticos.

    Analisando os dados da sonda norte-americana MAVEN-1, pesquisadores determinaram que a magnetosfera "diurna" (virada para o Sol) existe no Planeta Vermelho de forma permanente. Ela inclui uma camada fina que surge entre as correntes circunfluentes de vento solar e a ionosfera de Marte.

    "Há relativamente pouco tempo descobrimos que existem duas 'variedades' diferentes de magnetosfera em Marte, dependendo de certas condições externas. Acontece que Marte é constituído de tal forma que os processos fluidos e cinéticos têm papéis quase da mesma importância", disse Oleg Vaisberg, pesquisador-chefe do Instituto de Pesquisa Espacial da Academia de Ciências da Rússia.
    Campo magnético
    © CC0
    Campo magnético

    A magnetosfera é o campo magnético limitado de um planeta. Na Terra ela tem a tarefa muito importante de desviar a corrente de plasma solar ionizado, nocivo para a vida em nosso planeta.

    Vale ressaltar que Marte não possui seu próprio campo magnético, além das anomalias magnéticas que permaneceram após o resfriamento do núcleo líquido do planeta.

    No entanto, descobriu-se que a mistura dos dois tipos de plasma – de átomos aquecidos da ionosfera superior do planeta e íons mais energéticos – leva à formação de uma camada que afasta o vento solar do planeta.

    Mais:

    Cientista considera possibilidade de Marte ter cidade com 1 milhão de habitantes até 2100
    Ouça o Planeta Vermelho: NASA divulga áudio e VÍDEO da superfície de Marte
    'O que NASA está escondendo?', questiona ufólogo sobre recente exploração de Marte
    Tags:
    sonda espacial, Terra, Planeta Vermelho, Marte
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar