20:34 22 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    130
    Nos siga no

    Os fluxos deste tipo foram previstos na teoria há duas décadas como meio através do qual as galáxias massivas primordiais acumularam sua matéria.

    Uma equipe de astrônomos norte-americanos observou evidências de fluxos de gás frio que alimentaram as primeiras galáxias gigantes, segundo estudo publicado na revista The Astrophysical Journal.

    A descoberta ocorreu graças a dois quasares que estão atrás da galáxia, assim que sua luz atravessou o fluxo de gás.

    Os cientistas descobriram o fenômeno durante a observação da galáxia SMM J0913, que foi formada quando o universo tinha aproximadamente 2,5 bilhões de anos, uma quinta parte de sua atual idade.

    Representação esquemática dos fluxos de gás na galáxia SMM J0913
    Representação esquemática dos fluxos de gás na galáxia SMM J0913

    A equipe detectou que o halo quente de matéria escura da galáxia é atravessando por um "gasoduto" frio de gás, pobre em metais.

    Há duas décadas, os fluxos deste tipo foram previstos na teoria como meio através do qual as galáxias massivas primordiais acumularam sua matéria. Agora, esta hipótese foi confirmada com observações diretas.

    "É o protótipo, o primeiro caso em que detectamos um fluxo […] que alimenta uma galáxia muito massiva", indica o comunicado da Universidade de Iowa.

    "Segundo nossas observações, estas correntes podem encher o depósito em aproximadamente um bilhão de anos, o que é muito menos do que o tempo que esteve disponível para a galáxia na época que estávamos observando", afirmou Hai Fu, um dos autores do estudo.

    Mais:

    Astrônomos detectam nascimento de aglomerado de galáxias que ocorreu há 13 bilhões de anos
    Hubble captura imagem de uma das maiores galáxias da constelação de Virgem descoberta em 1785 (FOTO)
    Galáxia anã pode ajudar na compreensão da formação estelar
    Tags:
    astrônomo, cientistas, galáxia, galáxias, descoberta, estudos, estudo
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar