15:32 21 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    160
    Nos siga no

    O papiro contém informação detalhada sobre os ingredientes de um bálsamo antibacteriano à base de plantas, que servia para conservar os restos mortais.

    A análise de um papiro de 3.500 anos, considerado um dos primeiros manuais médicos já conhecidos, revelou uma série de técnicas de mumificação utilizadas pelos antigos egípcios durante a preparação de seus defuntos.

    A egiptóloga Sofie Schiodt da Universidade de Copenhague, decifrou uma série de técnicas de embalsamamento detalhadas no papiro Louvre-Carlsberg, um antigo manuscrito dedicado quase totalmente à fitoterapia e ao tratamento de doenças da pele, informou a instituição.

    Em sua tese de doutorado, a pesquisadora expõe que o procedimento descrito no papiro Louvre-Carlsberg, datado de aproximadamente 1.450 a.C., contém informação "muito detalhada" sobre os ingredientes utilizados na elaboração de um bálsamo aromático e antibacteriano composto principalmente por substâncias de origem vegetal e aglutinantes, elementos que eram cozidos até obter um líquido.

    Durante o processo de mumificação, os embalsamadores aplicavam a cada quatro dias a solução sobre o rosto do defunto, que era envolvido com pedaços de linho vermelho para protegê-lo de insetos e predadores.

    "Embora este procedimento não tenha sido identificado antes, os egiptólogos examinaram previamente diversas múmias da mesma época que este manual, cujos rostos estavam cobertos de pano e resina, o que se encaixa com o procedimento com linho vermelho descrito neste manuscrito", apontou Schiodt.

    Na tradição egípcia, o embalsamamento dos corpos era considerado uma arte sagrada, reservada para muito poucas pessoas. O conhecimento sobre este procedimento era transmitido oralmente, e por isso, há poucas fontes escritas descrevendo o processo.

    Até o momento, sabe-se apenas de dois textos relacionados com esta prática, ambos mais recentes que o papiro Louvre-Carlsberg.

    Mais:

    Enigmáticas múmias egípcias de 3.000 anos passam por tomografia computadorizada em Israel (FOTO)
    Revelados ingredientes da misteriosa substância preta usada para cobrir múmias no Egito (FOTOS)
    Identidade de múmia de 2.600 anos encontrada na Sibéria é revelada (FOTOS)
    Tags:
    estudo, descoberta, mistério, múmia, papiro, Egito
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar