03:17 19 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    Coronavírus no mundo no final de fevereiro de 2021 (71)
    001
    Nos siga no

    A farmacêutica, que desenvolveu uma vacina contra infecção pelo novo coronavírus em conjunto com a BioNTech, afirma que a terceira dose será igual às duas primeiras.

    A Pfizer e a BioNTech farão testes para descobrir se uma terceira dose de sua vacina é eficaz, revelaram as farmacêuticas desenvolvedoras do imunizante em um comunicado na quinta-feira (25).

    O teste será realizado em 144 participantes dos estudos da primeira fase, que começou em maio de 2020, divididos em dois grupos, de idades entre 18 e 55 anos, e entre 65 e 85 anos, e durará dois anos. Durante o primeiro estudo houve um intervalo de três semanas entre a primeira e a segunda doses.

    "Acreditamos que a terceira dose aumentará a resposta de anticorpos de 10 a 20 vezes", disse Albert Bourla, CEO da Pfizer, durante uma entrevista à emissora NBC, acrescentando que a dose será exatamente a mesma que as duas primeiras.

    Anteriormente, ele afirmou que não havia evidências de que a vacina, com eficácia de 95%, era menos eficaz contra novas variantes do SARS-CoV-2.

    A mídia também relatou planos da Pfizer de realizar testes clínicos para uma versão modificada de sua vacina contra a cepa B.1.351 da COVID-19, identificada pela primeira vez na África do Sul.

    Na quarta-feira (24), a farmacêutica Moderna anunciou igualmente que começou a estudar os efeitos de acrescentar uma terceira dose, e que também desenvolveu uma vacina com a cepa sul-africana como alvo.

    Tema:
    Coronavírus no mundo no final de fevereiro de 2021 (71)

    Mais:

    Vacina da Johnson & Johnson é eficaz contra variante sul-africana, aponta agência americana
    Após registro da Anvisa, prefeitos cobram do governo acordo com a Pfizer
    Pfizer e BioNTech teriam tentado vender sua vacina a US$ 65 por dose à UE
    COVID-19: vacina da Pfizer tem 85% de eficácia após 1ª dose, diz estudo
    COVID-19: cientistas pedem intervalo maior na administração da 2ª dose da vacina da Pfizer
    Tags:
    COVID-19, Pfizer, África do Sul
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar