20:08 14 Maio 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    Coronavírus no mundo no final de fevereiro de 2021 (71)
    0 80
    Nos siga no

    Com os resultados, a China pode ter em breve quatro vacinas aprovadas desenvolvidas localmente. As outras duas são a CoronaVac, da farmacêutica Sinovac, e outra desenvolvida também pela Sinopharm, na subsidiária de Pequim.

    Nesta quarta-feira (24), o Instituto de Produtos Biológicos de Wuhan, ligado à farmacêutica Sinopharm, afirmou que sua vacina tem uma taxa de eficácia de 72,51% contra o SARS-CoV-2, citando uma análise provisória de dados de um estudo clínico de estágio avançado, informa o jornal South China Morning Post.

    Da mesma forma, a chinesa CanSino Biologics anunciou também nesta quarta-feira (24) que sua vacina contra a COVID -19 tem eficácia superior a 65% contra todos os casos sintomáticos da doença. O imunizante, conhecido como Ad5-nCoV, tem eficácia de 90% para casos graves do novo coronavírus.

    Paramédicos aguardam para administrarem doses da vacina contra o coronavírus da Sinopharm, doada pela China, em um centro de vacinação no Paquistão, 3 de fevereiro de 2021
    © REUTERS / Akhtar Soomro
    Paramédicos aguardam para administrarem doses da vacina contra o coronavírus da Sinopharm, doada pela China, em um centro de vacinação no Paquistão, 3 de fevereiro de 2021

    Com os resultados, as farmacêuticas solicitaram aprovação de uso público de suas vacinas contra a COVID-19 na China, que, se concedida, significará que o país terá quatro vacinas aprovadas desenvolvidas localmente. As outras duas são a CoronaVac, da farmacêutica Sinovac, e outra desenvolvida também pela Sinopharm de Pequim.

    A vacina da subsidiária da Sinopharm em Pequim recebeu aprovação para uso público em dezembro, depois de meses de uso emergencial em grupos específicos, como profissionais de saúde e funcionários de estatais que viajam ao exterior a trabalho. No domingo (21), a Argentina aprovou o uso da vacina da Sinopharm.

    A CoronaVac foi aprovada para uso geral na China este mês. ​No Brasil, a vacina da Sinovac recebeu uma autorização de emergência pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) no começo do ano.

    A China já registrou 4.636 óbitos em decorrência da COVID-19 e o número total de casos do novo coronavírus no país é de 89.852. Cerca de 40.520.000 chineses já foram vacinados contra a COVID-19.

     

    Tema:
    Coronavírus no mundo no final de fevereiro de 2021 (71)

    Mais:

    COVID-19: 'Possibilidade é grande de que a doença não vá embora do Brasil', avalia epidemiologista
    COVID-19: variante da Califórnia parece ser mais contagiosa e resistente a vacinas, aponta estudo
    Ministra da Saúde de Montenegro é vacinada contra a COVID-19 com a Sputnik V
    COVID-19: Chile chega a 15% da população vacinada e vira exemplo na América Latina
    Tags:
    Pequim, Instituto de Produtos Biológicos de Wuhan, Wuhan, China, vacinação, vacina, Vacina CoronaVac, novo coronavírus
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar