23:22 10 Maio 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    164
    Nos siga no

    Apesar de adiar a introdução das novas regras de privacidade para maio devido à reação dos usuários, o WhatsApp, pertencente ao Facebook, revelou que não mudará sua decisão.

    O WhatsApp anunciou em um blog na quinta-feira (18) que avançará com sua nova política de privacidade.

    O aplicativo de conversa disse que começará a lembrar aos usuários para rever e aceitar atualizações para continuar usando-o.

    "Também incluímos mais informações para tentar resolver as preocupações que estamos ouvindo", acrescentou o comunicado, em provável referência ao fato de ter adiado a decisão de implementar as alterações até maio.

    Em 6 janeiro, a empresa pertencente ao Facebook revelou que a partir de 8 de fevereiro alteraria as regras de privacidade de forma a compartilhar dados pessoais de usuários com a rede social de Mark Zuckerberg, citando poder aproveitar suas infraestruturas existentes, embora isso não afetasse em teoria usuários da União Europeia e Reino Unido, regidos por regras de privacidade estritas.

    No entanto, dezenas de milhões de usuários, incluindo Jair Bolsonaro, Recep Tayyip Erdogan, Benjamin Netanyahu, Emmanuel Macron, presidentes do Brasil, Turquia, Israel, França, respectivamente, bem como outros líderes, responderam com o maior êxodo digital da história, fazendo com que os aplicativos de conversa Telegram e Signal deslanchassem no número de downloads.

    Mais:

    Especialista alerta por que você nunca deve usar esta configuração 'perigosa' do WhatsApp
    Números de telefone do WhatsApp filtram-se nas buscas do Google, diz especialista
    WhatsApp assegura não ter acesso às mensagens de seus usuários
    Novas regras do WhatsApp aumentam nossa 'subserviência' e trazem riscos, dizem especialistas
    Tags:
    Facebook, WhatsApp, WhatsApp
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar