07:15 08 Março 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    Pandemia da COVID-19 no mundo em meados de fevereiro de 2021 (110)
    0 104
    Nos siga no

    Duas cepas, uma mais transmissível, e outra mais resistente a anticorpos, foram registradas em uma amostra na Califórnia, EUA, algo que poderia tornar o SARS-CoV-2 mais perigoso, avisa mídia.

    As variantes do coronavírus do Reino Unido e da Califórnia, EUA, podem ter se fundido, relata a revista New Scientist.

    A nova versão surgiu após a cepa B.1.1.7, do Reino Unido, e a B.1.429, dos EUA, terem sido observadas em 2 de fevereiro em uma amostra do vírus no estado norte-americano da Califórnia, escreve a mídia. A variante é caracterizada pela maior transmissibilidade da B.1.1.7, em conjunto com a resistência a anticorpos da B.1.429.

    Se for confirmada, será a primeira vez que é observada uma versão recombinada do SARS-CoV-2 durante a pandemia, depois que em dezembro e janeiro alguns pesquisadores disseram que ainda não viram evidências do fenômeno, apesar de ser algo esperado em coronavírus, e de muitos crerem que foi como ele surgiu.

    "[...] Todos os coronavírus recombinam, então é uma questão de quando, não se", comenta Sergei Pond, da Universidade Temple na Pensilvânia, EUA.

    Este desenvolvimento pode ter resultado do fato de as pessoas poderem ser infectadas com duas variantes, diz a mídia. "Podemos estar chegando ao ponto em que isto está acontecendo a taxas apreciáveis", continua Pond.

    Uma recombinação também poderia torná-la mais perigosa que as variantes anteriores, refere a New Scientist.

    Tema:
    Pandemia da COVID-19 no mundo em meados de fevereiro de 2021 (110)

    Mais:

    COVID-19 pode ter sido mais ampla em dezembro de 2019 do que se pensava, diz OMS
    Rússia registra 1º sistema capaz de detectar variante britânica da COVID-19
    Cepa britânica da COVID-19 'vai varrer o mundo todo', avisa cientista do Reino Unido
    Tags:
    Califórnia, Reino Unido, EUA, Pensilvania, COVID-19, New Scientist
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar