05:49 28 Julho 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 30
    Nos siga no

    Cientistas da China e dos Estados Unidos desenvolveram um aparelho compacto e barato que transforma o calor natural do corpo humano em energia elétrica.

    O aparelho pode ser usado como anel, pulseira ou qualquer outro acessório que toca na pele, sua capacidade é suficiente para carregar um relógio eletrônico ou pulseira de fitness. A descrição da invenção é apresentada na revista Science Advances.

    Novo aparelho é flexível, autorreparador, pode ser reciclado completamente e não precisa de carregamento da rede elétrica. Ele consiste de um minúsculo gerador termoelétrico que usa calor humano como bateria biológica.

    "Cada vez que você utiliza uma bateria, você a descarrega e finalmente tem que a substituir. A vantagem de nosso aparelho termoelétrico é que ele pode ser usado constantemente", disse o chefe do estudo Jianliang Xiao, da Universidade de Colorado (EUA).

    O dispositivo pode gerar cerca de um volt de energia por cada centímetro quadrado de pele. Os autores calcularam que o termogerador em forma de pulseira usado por uma pessoa que caminha depressa pode produzir cerca de cinco volts de eletricidade – mais que as pilhas da maioria dos relógios.

    "Durante uma corrida ou exercícios, seu corpo aquece e esse calor irradia para o ar mais fresco em redor de você. Os geradores termoelétricos estão em contato próximo com o corpo humano e são capazes de utilizar o calor que habitualmente se dispersa no ambiente", explica o cientista.

    A base da estrutura é constituída por material elástico poliimida no qual estão montados chips termoelétricos finos, ligados por fios de metal líquido. O produto final se parece com algo intermédio entre uma pulseira ou anel de plástico e uma minúscula placa de circuito impresso.

    Carregador termoelétrico usado como anel
    © Foto / Xiao Lab
    Carregador termoelétrico usado como anel

    Adicionando mais blocos geradores, é fácil aumentar sua potência, por isso mesmo os inventores comparam o design do aparelho com um kit Lego para crianças.

    "Ademais, é sempre possível juntar unidades pequenas em outras maiores, é praticamente como montar um monte de pequenas peças de Lego em uma estrutura grande. Isto fornece muitas possibilidades de configuração", comentou o especialista.

    Graças a sua resistência aos fatores externos e capacidade de autorrestauração, um aparelho que se rompeu pode ser facilmente reparado, unindo simplesmente as extremidades quebradas e apertando bem para que estas se "grudem" de novo.

    Mais:

    Armazéns solares são uma realidade: novo material captura e conserva energia do Sol por meses
    Destino da energia lançada por buracos negros é revelado
    Especialistas concordam que governo deveria rever prioridades no setor de energia elétrica no Brasil
    Tags:
    pele, calor, bioenergia, energia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar