10:58 05 Agosto 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 30
    Nos siga no

    Os astrônomos da Universidade de Cardiff estão perplexos com o que estão vendo na galáxia recém-descoberta ALESS 073.1, formada há 1,2 bilhão de anos após o Big Bang.

    "Descobrimos que uma grande protuberância, um disco rotativo regular, e possivelmente braços em espiral já estavam no lugar nesta galáxia quando o Universo tinha apenas 10% de sua idade atual", afirmou o dr. Federico Lelli, líder do estudo.

    Ele também ressaltou que a "galáxia parece adulta, mas deveria ser apenas uma criança pequena", segundo a Sky News.
    Uma das principais características do que antes se acreditava serem galáxias maduras era a protuberância em seu centro, onde as estrelas se tornavam apertadas devido à gravidade.

    Acredita-se que estas grandes protuberâncias se formaram lentamente pela fusão de galáxias menores ou por processos específicos que ocorreram nestas próprias galáxias.

    Contudo, a descoberta da ALESS 073.1 reescreveu completamente esta convicção, sugerindo que a formação de grandes "bojos" nas galáxias pode ocorrer muito rapidamente, com aproximadamente metade de suas estrelas contida nestas protuberâncias.

    "Uma galáxia como a ALESS 073.1 simplesmente desafia nossa compreensão sobre a formação das galáxias", ressaltou Lelli.

    Isso porque, a galáxia recém-descoberta "possui características de uma galáxia madura, contando com braços em espiral que se estendem de suas partes centrais", assim como a Via Láctea, concluiu.

    Mais:

    Astrônomos observam pela 1ª vez morte de galáxia distante (FOTO)
    Galáxia distante que entra em erupção a cada 114 dias é descoberta (VÍDEO, FOTO)
    Universo é muito mais escuro porque tem bem menos galáxias do que se imaginava, diz estudo
    Tags:
    galáxia, galáxias, estudo, estudos, astrônomo, Big Bang
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar