11:37 05 Março 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 10
    Nos siga no

    Pesquisadores na Espanha analisaram as interações entre vírus que evoluíram durante seca e os que evoluíram com chuva, concluindo que seu efeito na planta estudada foi diferenciado.

    Cientistas do Instituto de Biologia de Sistemas Integrativos (I2SysBio), um centro conjunto da Universidade de Valência e do Centro Nacional de Pesquisa da Espanha (CSIC), descobriram um vírus com propriedades benéficas para hospedeiros, relata o portal AlphaGalileo.

    No caso, foi estudada a Arabidopsis thaliana, uma planta com flor, que após ser infectada com o vírus do mosaico de nabo (TuMV, na sigla em inglês) durante um período de seca, alterou seu relógio circadiano reduzindo em 25% sua probabilidade de perder água.

    "Em condições normais, o vírus mostra sua visão clássica como um patógeno ao matar plantas regadas", explica o virologista Santiago Elena Fito, presidente do I2SysBio, sobre o estudo publicado na revista Proceedings of the National Academy of Sciences of the United States of America.

    "No entanto, as plantas infectadas que foram submetidas a condições de estresse devido à seca permaneceram vivas."

    Arabidopsis thaliana, planta da escola botânica do Jardim das Plantas de Paris, França
    © CC BY 2.5 / Marie-Lan Nguyen / Arabidopsis thaliana
    Arabidopsis thaliana, planta da escola botânica do Jardim das Plantas de Paris, França

    A equipe de pesquisadores usou variantes do TuMV que evoluíram tanto em condições de seca como chuva, e descobriu que as versões acostumadas à seca não tinham um efeito substancial na Arabidopsis thaliana, mesmo que fosse bem regada, o que indica que o vírus causava de alguma forma mudanças na transcrição dos genes de seus hospedeiros para ajudá-los a sobreviver melhor.

    Segundo os autores do estudo, esta é a primeira vez que é comprovado que as condições ambientais podem alterar a natureza de uma relação entre hospedeiro e vírus.

    "Foi observado antes que um vírus pode conferir tolerância à seca a seu hospedeiro, mas segundo o nosso conhecimento, esta é a primeira vez que foi explorada a forma como as tensões abióticas moldam a evolução de uma interação hospedeiro-vírus", escrevem.

    Ao mesmo tempo, os vírus habituados à chuva continuaram a provocar infecção.

    Efeitos benéficos foram observados previamente em um estudo de 2008, no qual foi observado que vários vírus de mosaico pareciam melhorar a tolerância das plantas ao estresse ambiental, aumentando a proteção de seus antioxidantes e da água. Além disso, uma pesquisa de 2013, mostrou que juntos, a seca e o calor, poderiam mudar as vias de sinalização do TuMV, embora neste caso tenha sido teorizado que reduziu, e não aumentou, a resposta da planta ao calor.

    Mais:

    Descoberta planta medicinal que interfere na replicação do coronavírus
    Reveladas características perigosas da película microscópica de coronavírus
    Novo coronavírus imita proteínas imunológicas humanas para sobreviver mais tempo no hospedeiro
    Estudo determina quanto tempo coronavírus pode sobreviver em celulares ou cédulas
    Tags:
    Espanha
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar