08:55 01 Março 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 100
    Nos siga no

    Pesquisadores identificaram pegadas humanas em uma zona litorânea junto ao Parque Nacional de Doñana, no sudoeste da península ibérica.

    A descoberta confirma a presença de Neandertais em um assentamento permanente e vai fornecer respostas sobre o meio social da espécie.

    O grupo de pesquisa da Universidade de Huelva, o RNM 276 de geociências aplicadas, identificou um conjunto de pegadas, as mais antigas do Pleistoceno Superior no mundo.

    "Até agora, o mais parecido foi encontrado na Normandia, especificamente em Le Rozel, porém essa jazida é 25 mil anos mais nova", conta à Sputnik Eduardo Mayoral, responsável pelo estudo.

    Esquema das fases da pré-história e geológicas
    © Foto / IGN
    Esquema das fases da pré-história e geológicas

    Os trabalhos na península ibérica permitiram à equipe identificar um total de 87 pegadas completas. Nunca antes alguém havia encontrado esta quantidade de vestígios desta era.

    "As possibilidades que foram abertas são enormes [...] Ainda não sabemos muitas coisas sobre o homem de Neandertal, sabemos a nível biológico, porém esta jazida nos abre as portas para os comportamentos, estas pegadas são ferramentas sociais que nos permitiram saber como éramos", afirma Mayoral.

    Mayoral define o local onde as pegadas foram encontradas como uma "jazida litorânea marinha efêmera", por ser uma área entre marés que repetidamente é coberta pela água ou pela areia da praia.

    Pegadas encontradas na praia
    © Foto / Cortesia de Eduardo Mayoral
    Pegadas encontradas na praia

    O curioso é que este conjunto de pegadas, que está no local há mais de 100 mil anos, passou despercebido até hoje.

    "Há cem mil anos um grupo de Neandertais pisou nesta área de lama argilosa, felizmente um tapete microbiano cobriu o solo e melhorou a conservação das pegadas, e provavelmente, depois a areia e o mar cobriram este local até hoje [...] O fato de as marés e a areia cobrirem o local todos os dias torna a investigação extremamente difícil, mas permitiu que os vestígios permanecessem em excelentes condições", analisou.

    Especialistas analisam as pegadas encontradas em Doñana
    © Foto / Cortesia de Eduardo Mayoral
    Especialistas analisam as pegadas encontradas em Doñana

    Os pesquisadores revelaram que a área era litorânea ou com lagoas, sendo propícia para atividades como caça e pesca.

    Estas pegadas podem ajudar a determinar, por exemplo, o peso e a altura dos elementos desta espécie humana ancestral, sua idade e seu modo de vida.

    Detalhe da jazida
    © Foto / Cortesia de Eduardo Mayoral
    Detalhe da jazida

    Mayoral revela que já foram identificados três espécimes, uma criança de aproximadamente seis ou oito anos, um adulto mais alto que os restantes e uma pessoa mais jovem, provavelmente uma mulher.

    Além disso, as pegadas confirmam que os Neandertais "se moviam principalmente em pequenos grupos com poucos adultos e muitas crianças", e que não estavam lá apenas de passagem.

    As pegadas se concentram em torno de uma área alagada, "pois há uma linha de delimitação clara [...] Então, ou estavam à procura de caça ou pesca, ou atividades de lazer, ou estavam simplesmente tomando banho", explicou.

    Quando a equipe completar o mapa das pegadas, "será possível entender melhor a composição do grupo".

    Mais:

    Ferramentas na Dinamarca indicariam chegada de neandertais à Europa muito antes do imaginado (FOTO)
    Crânio de Florisbad de 260.000 anos é chave para entendimento da origem de nossa espécie, diz estudo
    Sítio arqueológico revela que neandertais viveram na atual Paris (FOTOS)
    Tags:
    pegada, humanos, história, descoberta, estudo
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar