20:59 15 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    120
    Nos siga no

    As finas capas de água salgada que existem debaixo da superfície em zonas congeladas marcianas representam uma nova oportunidade para o estudo de habitabilidade, pois o congelamento e derretimento dessas capas poderiam criar um ambiente dinâmico para vida no Planeta Vermelho.

    Um novo estudo desenvolvido pelo Instituto para Busca de Inteligência Extraterrestre (SETI, na sigla em inglês) californiano mostra que o clima frio e seco de Marte poderia ser semelhante aos lagos subterrâneos na Antártica, podendo representar um potencial lar para vida no planeta em estudo, a escassos centímetros de sua superfície.

    "Estou entusiasmada com a possibilidade [de existência] de água líquida em microescala em Marte, em ambientes perto da superfície onde o sal e o gelo estão presentes. Isto poderia revolucionar nossa perspectiva atual sobre a habitabilidade debaixo da superfície de Marte", segundo a líder do estudo, Janice Bishop, citada pelo tabloide Daily Star.

    Os resultados do estudo são baseados em imagens capturadas pelo Orbitador de Reconhecimento de Marte da agência norte-americana espacial NASA, com a câmera HiRISE, que é o sistema de imagem mais poderoso já enviado a outro planeta.

    Ilustração da sonda Perseverance da NASA que, em breve, poderá ser lançada para buscar vida marciana
    Ilustração da sonda Perseverance da NASA que, em breve, poderá ser lançada para buscar vida marciana

    As imagens mostram sequências de umidade aparecendo e desaparecendo com o tempo nas encostas voltadas para o Sol. Tracejados são criados na superfície marciana quando os sais se combinam com a água subterrânea, causando distúrbios visíveis, incluindo colapsos e deslizamentos de terra em movimento rápido, como pode ser atualmente observado em Marte.

    Este clima peculiar tem sido comparado às condições observadas nos lagos subterrâneos da Antártica, onde camarões estranhos e "pepinos nadadores" prevalecem. Este mesmo fenômeno também foi observado em outros lugares de condições semelhantes na Terra, tais como o mar Morto em Israel, os vales secos da Antártica, e o deserto de Atacama no Chile.

    De acordo a mídia britânica, estes resultados podem fornecer um novo alvo para a sonda Perseverance da NASA, que está programada para pousar no Planeta Vermelho em 18 de fevereiro.

    Mais:

    Observação mais completa de 3.000 galáxias de projeto de grande escala lança luz sobre seus segredos
    Telescópio Hubble registra imagem de galáxia espiral com gigante estrela brilhante ao lado (FOTO)
    Ciclos solares de quase 1.000 d.C. são revelados por radiocarbono em anéis de árvores
    Tags:
    descoberta, vida, ciência, Universo, Via Láctea, Sistema Solar, Marte
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar