14:48 17 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    461
    Nos siga no

    Dentes pré-históricos descobertos em uma caverna em Jersey, ilha no Canal da Mancha, revelam sinais de cruzamento entre neandertais e nossa própria espécie.

    Em estudo publicado nesta segunda-feira (1º) no Journal of Human Evolution, especialistas britânicos analisaram novamente 11 dentes encontrados entre 1910 e 1911 na caverna de La Cotte de St Brelade, na ilha de Jersey, e descobrem que os dentes anteriormente caracterizados como sendo somente de neandertais, na verdade, são de duas linhagens: a dos neandertais e dos Homo sapiens.

    A descoberta ajuda a comprovar que as linhagens se cruzaram e que a memória genética dos dois se encontra até hoje no humano moderno.

    Os 11 dentes encontrados sugerem que alguns podem ter pertencido a indivíduos de ascendência mista, ou seja, o cruzamento entre neandertais e Homo sapiens.
    Os 11 dentes encontrados sugerem que alguns podem ter pertencido a indivíduos de ascendência mista, ou seja, o cruzamento entre neandertais e Homo sapiens.

    A nova análise dos dentes foi realizada através de tomografia computadorizada avançada, permitindo que pudessem ser estudados em um nível mais detalhado do que previamente. Acredita-se que os mesmos tenham cerca de 48 mil anos, perto da suposta data de extinção dos neandertais, há 40 mil anos.

    "Encontramos as mesmas combinações incomuns de neandertais e traços humanos modernos nos dentes de ambos os indivíduos. Nós consideramos esta a evidência direta mais forte [de cruzamento] encontrada em fósseis", disse o autor do estudo Chris Stringer, líder de pesquisa em origens humanas.

    Sobre as características que levaram os cientistas à essa percepção, Stringer diz que "as raízes dos dentes parecem muito com as dos neandertais, enquanto o pescoço e a coroa se parecem bem mais com os dos humanos modernos".

    Os primeiros humanos modernos e os neandertais viveram na Europa e em partes da Ásia ao mesmo tempo, sobrepondo-se por vários milhares de anos. Durante esse tempo, os dois se encontravam, faziam sexo e tinham filhos. A evidência está enterrada em nossos genes. A análise de DNA demonstrou que maioria dos europeus têm cerca de 2% de DNA de Neandertal em seus genomas, proveniente desse antigo cruzamento.

    "Dado que os humanos modernos se sobrepuseram aos neandertais em algumas partes da Europa depois de 45 mil anos atrás, as características incomuns desses indivíduos de La Cotte sugerem que eles poderiam ter tido uma dupla ancestralidade: Neandertal e Homo sapiens. Esse seria o 'produto' do que somos hoje", afirma Stringer.

    No entanto, até hoje, houve relativamente pouca evidência física direta desses encontros, esqueletos que foram encontrados e ossos fossilizados ainda não deram a precisão necessária de tal cruzamento. Sendo assim, a análise dos dentes pode ser uma prova definitiva que esse cruzamento realmente aconteceu por pelo o menos cinco mil anos.

    Tags:
    arqueologia, humanidade, História, homo sapiens
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar