20:51 18 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 0 0
    Nos siga no

    Novo estudo encontrou um padrão que indicaria que nossos ritmos circadianos naturais são sincronizados até certo ponto com as fases da Lua.

    Em um artigo publicado em 27 de janeiro na revista Science Advances, pesquisadores da Universidade de Washington (EUA), da Universidade Nacional de Quilmes (Argentina) e da Universidade Yale (EUA) reportam que os ciclos de sono no ser humano oscilam durante o ciclo lunar de 29,5 dias: nos dias que antecedem a lua cheia, as pessoas dormem mais tarde e por períodos mais curtos.

    Uma equipe científica chefiada pelo professor de Biologia da Universidade de Washington, Horacio de la Iglesia, observou o tempo do início de sono e a duração deste em zonas urbanas e rurais – de comunidades indígenas no norte da Argentina a estudantes de Seattle. Em resultado, os cientistas viram oscilações apesar do acesso dos indivíduos à eletricidade, embora as variações sejam menos distintas entre pessoas de zonas urbanas.

    Conforme o grupo estudado, a quantidade total de sono variou durante o ciclo lunar desde 46 até 58 minutos em média. Em todos os grupos, pessoas demostraram os resultados referidos nas noites de três a cinco dias que antecedem a lua cheia.

    "Observamos uma clara modulação lunar do sono, com o sono diminuindo e um início posterior do sono nos dias que precedem a lua cheia", revelou o professor, citado pelo jornal UW News.

    A equipe confirmou que em noites que antecedem a lua cheia – quando os participantes dormiram menos e se deitaram mais tarde, havia mais luz natural disponível após o anoitecer: a lua crescente é cada vez mais brilhante à medida que se move em direção à fase de lua cheia, e geralmente ocorre no fim da tarde ou no início da noite, estando em um ponto alto no céu durante a noite após o pôr do sol.

    A segunda metade da fase da lua cheia e luas crescentes também iluminam muito, mas só na metade da noite, visto que a Lua aparece mais tarde.

    "Nós lançamos a hipótese de que os padrões observados sejam uma adaptação inata que permitiu que nossos ancestrais tirassem proveito desta fonte natural de luz noturna que ocorria em um momento específico do ciclo lunar", disse um dos autores do estudo, o pesquisador de pós-doutorado do Departamento de Biologia da Universidade de Washington, Leandro Casiraghi.

    Estes efeitos lunares poderiam também explicar por que o acesso à eletricidade causa mudanças tão acentuadas em nossos padrões de sono, adicionou Iglesia.

    "Em geral, a luz artificial perturba nossos relógios circadianos inatos de formas específicas: nos faz adormecer mais tarde à noite; nos faz dormir menos. Mas, nós não usamos habitualmente a luz artificial para 'antecipar' a manhã, pelo menos, não voluntariamente. Estes são os mesmos padrões que observamos aqui com as fases da Lua", concluiu o professor.

    Mais:

    Como era a 1ª sonda interplanetária da URSS lançada à Lua há 62 anos?
    Agência Espacial Brasileira quer ingressar no Artemis, programa que mira 1ª mulher na Lua
    NASA testa supermotores para foguetes destinados a missão à Lua mas ensaio corre mal (VÍDEO)
    Astrônomos conseguem calcular profundidade de maior mar da lua Titã, de Saturno
    Tags:
    Lua cheia, fases, sono, Lua
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar