16:37 16 Maio 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    Mundo enfrenta coronavírus no final de dezembro (111)
    0 41
    Nos siga no

    Imunologista alemão deu seu parecer sobre a resistência do coronavírus quando lhe foi perguntado quando o mundo poderia voltar à normalidade.

    Enquanto continua sendo combatida a COVID-19 em meio ao surgimento de cepas potencialmente mais letais, Ugur Sahin, cofundador e presidente-executivo da farmacêutica BioNTech, afirmou que "necessitamos de uma nova definição de normalidade. O vírus permanecerá conosco nos próximos dez anos".

    A vacina contra a SARS-CoV-2 da BioNTech, desenvolvida em conjunto com a farmacêutica americana Pfizer, foi autorizada para ser administrada em mais de 45 países. Nesse sentido, Sahin também sugeriu que esta poderia ser ajustada à nova cepa do vírus recém-detectada no Reino Unido.

    O presidente-executivo da farmacêutica tem esperança de que a vacina possa reduzir pela metade a transmissão do vírus, o que resultaria em uma "redução drástica dos casos".

    Por enquanto, os desenvolvedores da vacina esperam que as pessoas vacinadas apresentem imunidade ao vírus por pelo menos um ano.

    Tema:
    Mundo enfrenta coronavírus no final de dezembro (111)

    Mais:

    Auxiliar de enfermagem brasileira está entre primeiras pessoas vacinadas contra COVID-19 em Portugal
    Dinamarca descobre que morte da indústria de visons é 'boa notícia' para natureza
    COVID-19: Argentina começará vacinação com a Sputnik V antes do Ano Novo
    Tags:
    ciência, pandemia, Pfizer, vacina, novo coronavírus
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar