18:05 20 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 40
    Nos siga no

    Cientistas, usando método de aprendizado de máquinas, identificaram mais de 109 mil crateras até então desconhecidas na superfície da Lua, e desvendaram o tempo de formação de aproximadamente 19 mil destas.

    As crateras lunares ocupam a maior parte da superfície do nosso satélite natural. Desde 1919, a União Astronômica Internacional registrou 9.137 crateras, tendo determinado a idade de 1.675 delas.

    Cientistas chineses da Universidade de Jilin e da Academia de Ciências da China, em parceria com colegas da Itália e Islândia, usaram na identificação de novas crateras lunares dados das sondas Chang'e 1 e Chang'e 2 do Programa de Exploração Lunar da China, segundo resultados da pesquisa publicados na revista Nature Communications.

    As sondas de 2007 a 2010 realizaram mapeamento topográfico e fotografaram a superfície lunar.

    As espaçonaves fotografaram toda a superfície da Lua em resoluções de 500, 120 e sete metros. As imagens de alta resolução permitem identificar contornos de grandes estruturas, já as imagens de baixa resolução permitem detalhar a estrutura de pequenas crateras.
    Novas crateras descobertas do Copernicano, de menos de 1,1 bilhão de anos
    © Foto / Chen Yang et al.
    Novas crateras descobertas do Copernicano, de menos de 1,1 bilhão de anos

    Os pesquisadores programaram uma rede neural artificial para identificar crateras e determinar a idade de cada uma delas, usando as 7.895 crateras descobertas, dentre as quais 1.411 foram datadas anteriormente.

    O sistema artificial conseguiu identificar nas fotos tiradas pelas sondas Chang'e 1 e Chang'e 2 109.956 novas crateras em latitudes baixas e médias da Lua. A quantidade de novas crateras é dezenas de vezes maior do que o número de crateras descobertas anteriormente.

    As 18.996 crateras de diâmetro superior a oito quilômetros tiveram determinado seu tempo de formação pela rede neural, o que é importante para compreender a história do Sistema Solar.

    Novas crateras descobertas do Pré-nectárico de cerca de 3,92 bilhões de anos
    © Foto / Chen Yang et al.
    Novas crateras descobertas do Pré-nectárico de cerca de 3,92 bilhões de anos

    O sistema artificial usou critérios morfológicos e estratigráficos para determinar a idade.

    A maioria das crateras grandes, de diâmetro de 50 a 550 quilômetros, são do Pré-nectárico, de quatro bilhões de anos atrás, e as crateras menores pertencem ao Nectárico e Copernicano, sendo este último o atual período na escala de tempo geológico lunar.

    Os cientistas consideram que resultados de seu trabalho podem ser a base para criação de novo banco de dados sobre as crateras em latitudes baixas e médias da Lua. Também afirmam que o método desenvolvido pode ser aplicado em outros corpos celestes do Sistema Solar.

    Mais:

    Com dados da sonda InSight, cientistas conseguem 'olhar' para dentro de Marte pela 1ª vez
    'Derretido': telescópio Hubble tira FOTO do maior anel de Einstein
    Cadê?! Ausência de buraco negro supermassivo em aglomerado de galáxias intriga cientistas (FOTO)
    Planeta duplo no céu: como foi a 1ª aproximação de Júpiter e Saturno na época de Natal após 800 anos
    Tags:
    Lua, sonda, cratera, cientistas, missão lunar
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar