19:03 15 Maio 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    Mundo enfrenta coronavírus no final de dezembro (111)
    0 30
    Nos siga no

    As farmacêuticas Pfizer e a Moderna anunciaram nesta terça-feira (22) que estão testando suas vacinas contra a cepa mutante do coronavírus que foi encontrada no Reino Unido e em outros países.

    A agência Reuters noticiou que a vacina desenvolvida em conjunto pelos laboratórios Pfizer e BioNTech passará por novos testes antes que sejam enviadas as 12,5 milhões de doses encomendadas pela União Europeia (UE), o que deve ocorrer até o fim do mês.

    Na segunda-feira (21), o imunizante recebeu aprovação da Comissão Europeia para ser aplicado e vários países do continente afirmaram que pretendem iniciar a imunização da população a partir de 27 de dezembro.

    Segundo o CEO da BioNTech, Ugur Sahin, serão necessárias mais duas semanas para descobrir se o imunizante produzido em parceria com a farmacêutica americana é eficaz contra a variante do vírus.

    A Moderna, por sua vez, disse em comunicado enviado à emissora norte-americana CNN que espera que a imunidade de sua vacina proteja contra a nova cepa e que fará mais testes para confirmar isso nas próximas semanas.

    As autoridades do Reino Unido anunciaram no último sábado (18) a suspensão do alívio às medidas de restrição durante o feriado do Natal devido à descoberta da nova cepa do SARS-CoV-2 no país. Estima-se que a variante pode ser até 70% mais contagiosa que o vírus "original" e diversos países decidiram proibir os voos vindos do Reino Unido para tentar impedir a chegada dessa nova cepa.

    De acordo com o CEO da BioNTech, até o momento já foram identificadas nove mutações no vírus. O executivo acrescentou que não acredita que nenhuma delas seja forte o suficiente para contornar a proteção fornecida pela vacina, mas frisou que serão necessários mais 14 dias de estudo e de coleta de dados para se ter uma resposta final.

    Na última segunda-feira (21), o diretor-geral do Fundo Russo de Investimentos Diretos (RFPI), Kirill Dmitriev, disse que o imunizante Sputnik V também é eficaz contra a nova cepa do coronavírus SARS-CoV-2.  

    Tema:
    Mundo enfrenta coronavírus no final de dezembro (111)

    Mais:

    Comissão Europeia aprova vacina da Pfizer e BioNTech contra COVID-19
    Biden recebe vacina contra COVID-19 nos EUA e diz que 'não há nada a temer'
    Anthony Fauci e secretário de Saúde dos EUA recebem vacina contra COVID-19 da Moderna
    Tags:
    mutação, pandemia, COVID-19, vacina
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar