18:18 25 Janeiro 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    762
    Nos siga no

    A Agência Espacial Europeia (ESA) olhou para uma vista de Marte capturada pela sonda Mars Express, identificando uma silhueta etérea nas formações de superfície.

    "As asas definidas de uma figura angélica, completada com um halo, podem ser vistas projetadas para cima e para fora das margens da imagem", contou em comunicado a ESA nesta quinta-feira (17).

    Figura de anjo capturada pela sonda no Marte
    Figura de anjo capturada pela sonda no Marte

    Além disso, a agência espacial também apontou a uma forma de coração abaixo de uma asa do anjo. As cores profundas se devem às areias escuras neste campo de dunas marciano, reporta a agência.

    Dando algumas explicações geológicas, a ESA detalha que "a mão" esquerda do anjo é provavelmente um poço sublimático, isto é, um fenômeno sazonal que sucede quando o gelo marciano se transforma em vapor deixando uma depressão no solo atrás de si.

    Figura de anjo capturada pela sonda no Marte (imagem topográfica)
    Figura de anjo capturada pela sonda no Marte (imagem topográfica)

    "A 'cabeça' e o halo são formados por uma cratera de impacto, criada por um corpo espacial que colidiu com a crosta do Marte", adicionou a ESA. Este impacto deixou expostas várias camadas de sedimentos no solo, permitindo-nos uma olhada abaixo da superfície.

    Por sua vez, as marcas finas na paisagem circundante são sinais de uma tempestade de areia das que acontecem frequentemente no planeta ventoso.

    O site CNET nota justamente que a interpretação da silhueta pela ESA é uma forma adequada de marcar a época natalina.

    Mais:

    Cultivo de tomates na Lua ou em Marte: projeto espanhol visa sustentar futuros colonos espaciais
    Com dados da sonda InSight, cientistas conseguem 'olhar' para dentro de Marte pela 1ª vez
    A caminho de Marte, sonda chinesa atinge mais de 100 milhões de quilômetros de distância da Terra
    Tags:
    anjo, tempestade de areia, Marte
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar