09:55 23 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    120
    Nos siga no

    Alguns dos buracos negros supermassivos, localizados nos centros das galáxias, expulsam gigantescos e superaquecidos jatos de plasma, quase à velocidade da luz.

    Estes jatos de plasma despejavam sua energia, convertendo a luz visível e infravermelha em raios gama de altíssima energia, e que segundo os cientistas, vão parar em duas regiões circundantes dos buracos negros: uma região adjacente, localizada aproximadamente cerca de 0,3 ano luz, e outras distantes, a cerca de três anos-luz de distância, segundo estudo publicado pela revista Nature Communications.

    De acordo com Adam Leah Harvey, candidato a doutor em física na Universidade de Maryland, nos Estados Unidos, esta energia, liberada pelos buracos negros, é dissipada na região distante.

    Buraco negro (imagem referencial)
    © Foto / Pixabay / geralt
    Buraco negro (imagem referencial)

    Harvey chegou à conclusão após calcular os dados de observação de 62 jatos de plasma lançados pelos buracos negros, que indicaram a origem das ondas de luz que o plasma converte em raios gama.

    Após calcular os 62 jatos, Harvey obteve uma distribuição que chegou quase ao mesmo valor esperado à região distante, localizada a três anos-luz do centro do buraco negro.

    "Estas implicações serão de extrema importância para compreender o comportamento dos jatos de plasma lançados pelos buracos negros", afirmou.

    Desta forma, Harvey acredita que o jato não está acelerado o suficiente para iniciar a dissipação da energia em escalas menores.

    Mais:

    Astrônomos mapeiam 1 milhão de galáxias previamente desconhecidas (VÍDEO)
    Um dos exoplanetas mais negros de nossa galáxia está destinado a morte flamejante
    Mistério de galáxia desprovida de matéria escura é revelado
    Tags:
    buraco negro, plasma, ondas de plasma, estudo, cientistas
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar