10:13 18 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 20
    Nos siga no

    O réptil aquático tinha cerca de dois metros de comprimento e uma caixa torácica profunda, pequenos membros anteriores e centenas de dentes minúsculos, delicados e lisos, revela estudo.

    Pesquisadores descobriram uma nova espécie de ictiossauro depois de analisarem um fóssil que foi encontrado em Dorset, Reino Unido. O Thalassodraco etchesi era um réptil marinho e viveu há cerca de 150 milhões de anos. O achado foi divulgado na revista científica PLOS ONE.

    A espécie foi identificada a partir de um fóssil excepcionalmente bem preservado. O nome é derivado de Thalasso, mar em grego, draco, dragão em latim, e etchesi, em homenagem ao colecionador amador que descobriu o fóssil em 2009, Steve Etches.

    Esta espécie de ictiossauro recém-designada parece feliz! "Espécime foi nomeada Thalassodraco etchesi em homenagem ao dr. Etches.​

    "As pessoas têm escavado ictiossauros nesta área há 200 anos, mas encontrar uma nova espécie, quanto mais um novo gênero, é muito raro", afirma ao portal News Scientist Megan Jacobs, principal autora do artigo.

    Animal incomum

    O réptil, que parece um cruzamento entre um golfinho e um tubarão, é invulgar o suficiente para ser classificado como parte de um novo grupo de animais. O T. etchesi tinha olhos enormes e uma grande caixa torácica, sugerindo que tinha grande capacidade pulmonar e a habilidade de ver nas profundezas do oceano escuro, provavelmente mergulhou fundo no mar para capturar lulas e outras presas escorregadias.

    ​Uma nova espécie de ictiossauro com o nome do brilhante Steve Etches, que encontrou e preparou o fóssil. Parabéns a Megan Jacobs e Dave Martill pelo estudo. Eles chamaram o ictiossauro de Thalassodraco etchesi, que significa "Dragão do Mar de Steve Etches", muito apropriado!

    O T. etchesi é um ictiossauro, um grupo de répteis marinhos extintos, mas como é muito menor que as outras espécies e tem outras características distintivas, os pesquisadores o classificaram em seu próprio gênero.

    A análise do fóssil revelou que o réptil tinha boca longa, cauda e barbatana dorsal semelhantes a tubarões, que vivia inteiramente debaixo d'água e subia para respirar como os golfinhos.

    Os cientistas acreditam que o animal tinha cerca de 200 dentes pequenos e lisos, ao contrário da maioria dos outros ictiossauros, que geralmente tinham um número menor de dentes grandes e robustos. Os dentes minúsculos provavelmente agiram como "gaiolas" para prender presas como uma lula, afirma os autores.

    "As centenas de minúsculos dentes do espécime seriam adequados para uma dieta de lulas e peixes pequenos, e os dentes são únicos por serem completamente lisos", explica David Martill, coautor do estudo.

    Os olhos eram particularmente grandes para o crânio, e sua caixa torácica era notavelmente larga. Mesmo assim, T. etchesi teria medido apenas cerca de dois metros de comprimento, muito pequeno se comparado com a maioria dos outros ictiossauros da mesma época, diz Jacobs.

    Mais:

    Cobra dá bote certeiro em lagartixa lançando o réptil para dentro de balde d'água
    Megapredador: última refeição de réptil marinho pré-histórico foi outro animal gigante (FOTOS)
    Crocodilo suicida? Réptil escala ponte e se joga em rio na Índia
    Evoluiu para aterrorizar: nova espécie de réptil pré-histórico é descoberta no Marrocos (FOTO)
    Tags:
    réptil, espécies, golfinho, tubarão, fóssil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar